17 de novembro de 2008

REVOLUÇÃO





Estou calmo, tranquilo, até mesmo frio para comigo mesmo.
É fácil criticar os atos erroneos dos nossos semelhantes, enquanto passamos despercebidos pelas nossas falhas pessoais.
Falamos quando achamos que temos que falar.
Será porque temos que falar em momentos que, ao contrário, em alguns casos temos a oportunidade de dar uma resposta maior e feliz ao ficarmos no silêncio?
Estou errado. Mas estou melhorando.
Vendo o que quero ver, como em uma visão tridimensional dos aspectos que dizem está certo.
Certo aqui, mas ali não.
Entendam como é a vida na visão de um cego que vive pendurado nas mais angústias da felicidade entre os analistas de plantão.
Vivo, estou vivendo e sempre viverei nas imaginações dos críticos que dizem saber da verdade ao tempo que se perdem entres as próprias pernas.
A vida é linda, só devemos aproveitá-la.
O mundo é fácil, quem complica somos nós humanos nas mais atrevidas necessidades de nos dar bem com o próximo.
Não entendo como não podemos ser felizes estão ao lado daqueles que nos completam.
"Os opostos se atrai", já diziam os antepassados.
Até quando vou caminhar por passos largos, ou mesmo lentos, para chegar ao topo da montanha e poder gritar "Escrevi novamente" para minha mente poder acalmar?
Espero que não entendam, pois a vida só é boa quando temos algo a descobrir.

Um comentário:

  1. Quero aproveitar este espaço para comentar a enquete a respeito de quem deve ser o novo secretário de educação. todos os nomes postos são qualificados, mas me pergunto porque não foi relacionada entre os 'candidatos a secretário' a professora Geysa Péres. Ela tem experiência na área de gestão escolar e está concluindo mestrado em Educação, sendo portanto amplamente capacitada para ocupar este cargo e coladorar com novo prefeito a melhorar a educação de Esperantina.

    ResponderExcluir