29 de março de 2009

AS "FASES" DO AMOR


Para os solteiros:


O amor é como uma borboleta. Por mais que tente pegá-la, ela fugirá. Mas quando menos esperar, ela estará ali do seu lado. O amor pode fazer-te feliz, mas às vezes também pode ferir-te. Mas o amor será especial apenas quando tiver o objectivo de se dar somente a um alguém que seja realmente valioso. Por isso, aproveite o tempo livre para escolher.


Para os comprometidos:


Amor não é envolver-se com a "pessoa perfeita", aquela dos nossos sonhos. Não existem príncipes nem princesas. Encare a outra pessoa de forma sincera e real, exaltando as suas qualidades, mas sabendo também dos seus defeitos. O amor só é lindo, quando encontramos alguém que nos transforme no melhor que podemos ser.

Para os casados:


O amor não te faz dizer "a culpa é", mas faz-te dizer "perdoa-me". Compreender o outro, tentar sentir a diferença, colocar-se no seu lugar. Diz o ditado que um casal feliz é aquele feito de dois bons “perdoadores”.
A verdadeira medida de compatibilidade não são os anos que passaram juntos, mas sim o quanto nesses anos, vocês foram bons um para o outro.


Para os que têm o coração partido:


Um coração assim dura o tempo que você deseje que ele dure, e ele lastimará o tempo que você permitir. Um coração partido sente saudades, imagina como seria bom, mas não permita que ele chore para sempre. Permita-se rir e conhecer outros corações. Aprenda a viver, aprenda a amar as pessoas com solidariedade, aprenda a fazer coisas boas, aprenda a ajudar a própria vida. A dor de um coração partido é inevitável, mas o sofrimento é opcional. E lembre-se: é melhor ver alguém que você ama feliz com outra pessoa, do que vê-la infeliz ao seu lado.

Afinal:
Eterno, é tudo aquilo que dura uma fracção de segundo, mas com tamanha intensidade, que se petrifica, e nenhuma força jamais o resgata.

Nenhum comentário:

Postar um comentário