30 de março de 2009

ONDE NÃO DEVO IR?


Cansei de escrever quando não devo ir além dos meus pontos de vista, dos meus sentimos e infelicidades outrora ultrapassado.
Sinto falta de exibir ao mundo as minhas derrotas e principalmente VITÓRIAS.
Vejo-me no abismo de uma vida cheia de surpresas inconvenientes.
Sei que éramos diferentes como maçã e uva. Mas gostava de te sentir como tal.
Caminhei muito até compreender que jamais se tornaria o pecado da minha imaginação. Pecado da carne e do AMOR.
Pensei varias vezes em parar de escrever, bem ou péssimo, ao tempo que descubro que devo mesmo é deixar de demonstrar o que quero sentir. Assim quem sabe conseguirei transporta-lo as milhares de mentes perdidas como meio de o sobrevivência da espécie humana.
Humano somos nós que sentimos, falamos e que pecamos por omitir o que queríamos compartilhar como forma de evitar as angústias.
As ideias já não valem mais.
Os sonhos acabam pelo simples motivo de não querer mais aprender sobre o diferente, o complicado, o intrigante e que ao mesmo tempo tudo isso nos enche de orgulho.
É uma pena que tenho sido assim.
Procurando não sei o que. Encontro o que preciso. Aceitando tudo que me rodeia para vê se não fujo da realidade.

No meu aniversário você não vai estar e não vamos mais comemorar juntos... Mas eu não me importo, porque alguém que gosta de mim vai estar lá (minha mãe) e ainda que sejam só os meus amigos, eles me aceitam.

No Dia dos Namorados, eu não vou te dar aquele presente que estava vendo há um tempão, e era a sua cara... Não vamos passar a noite juntos, não vamos mais ter um jantar romântico e nem uma noite de s . . o... não vamos dizer o quanto gostamos um do outro como todos os casais normais... você não vai estar lá. Mas você não merecia o meu presente, a minha noite, as minhas horas, e nem as minhas palavras. É melhor guarda-las comigo.

O papel do jogo se encontra nos versos distorcidos de caminhos cheios de obstáculos.
Resolvê-los? Como? Porquê? Para quê?

E eu vou ser feliz, eu sei que vou. Porque eu sou isso, aquilo, etc... e um dia eu vou achar alguém de olhos abertos e ouvidos de ouvir, e coração de sentir o que eu sou de verdade, por dentro. E vai se dar tão bem na vida! Nós vamos saber o que é isso que tá aqui dentro, e vamos aproveitar cada miligrama. E este caminho é tão real quanto eu sou. E enquanto ele não chegar, eu vou ser feliz também. Porque eu faço a minha parte, sou tudo isso e mais pouco mesmo que seja de forma negativa hoje ou positiva amanhã e não me poupo da vida e nem de tentar.

Continuarei fraco, incompleto, sonhando, escrevendo angústias, amores, paixões, caminhando por onde não devo ir feliz.

texto adaptado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário