11 de junho de 2009

A MINHA METADE


Hoje peço a Deus que me proteja dos males humanos. Que possa trilhar caminhos brandos e claros.

Onde meu passado seja lembrado nas minhas horas de angústias que virão.

Espero que meu medo não me tire à visão. E que a morte de tudo não me tape os ouvidos e a minha boca.
Sou fruto de ontem. Das minhas ações. Dos meus quereis. Da minha mãe. Do meu pai. Dos meus irmãos. Da minha Eterna Patroa.

Porque a metade de mim é o que eu grito, mas a outra metade é silêncio.

Que a mulher que adooolo seja sempre amada, mesmo que esteja distante de mim.

Porque a metade de mim é partida, a outra é saudade.

Saudade dos sonhos de caminhar de mãos dadas. Hoje entendo que não basta está próximo da amada para está juntos, felizes.
Espero que o que escrevo aqui não seja levado a sério como preces e nem repetidas, apenas respeitadas como única coisa que resta do homem inundado de sentimentos.

Porque metade de mim é o que ouço, a outra é o que calo.

Que esta vontade de se tornar livre me prenda ainda mais àqueles que me amam.
Que esta tensão que me corroem por dentro seja um dia recompensado.

Porque metade de mim é o que penso, a outra metade é lavas.

Que o medo da solidão me faça alguém melhor para no futuro próximo possa fazer alguém ainda mais feliz.
Que hoje ao olhar no espelho eu possa lembrar os dias de criança na qual não tinha tanta responsabilidade, portanto pensava mais e melhor. Sem falar do sorriso tranquilo de um dia de mulheres imaginárias.

Porque metade de mim é a lembrança, a outra metade eu não sei.

Que não seja preciso mais do que uma simples alegria para fazer me aquietar o espírito e que teu silencio me fale cada vez mais.

Porque metade de mim é abrigo, a outra metade é cansaço.

Cansado de injustiças amorosas. Já disseram que o AMOR é lindo, o que mata é a falsidade.
Gosto de assistir belos filmes, mas ainda não vi filme melhor do que o do AMOR da vida real.
E real é que devemos ser. Não o de 1994 e sim dos tempos difíceis que vivemos.

Porque metade de mim é platéia, a outra metade é canção.

E em falar em canção, há exatamente 3 anos estava iniciando um sacolejo, ao ritmo do Forró Sacode, uma vida a dois.
Sacudimos, sacudimos, sacudimos. Muitas vezes caímos por não saber sacudi corretamente.
Mas todas às vezes levantamos com um aprendizado. "Altos e baixos são precisos" para aprender a dançar, deste que tenhamos AMOR pelo que nos fazemos bem. Não é mesmo?

Agora, depois de 3 três anos sacudindo, quero explodir de AMOR neste dia 12 de junho - DIA DOS NAMORADOS – nosso dia e o do nosso aniversário, ao som da EXPLOSÃO DO SOM.

Porque metade de mim é AMOR e a outra metade TAMBÉM.

Nenhum comentário:

Postar um comentário