2 de julho de 2009

NOSSA SOCIEDADE EM DECADÊNCIA



No momento atual estou um tanto pouco preocupado pelo que tenho observado ao meu redor.

Ao fazer uma pergunta, inicio esta minha escrita:

QUANDO IREMOS (sociedade civil e Estado) ACORDAR PARA O PROBLEMA QUE ESTÁ DESTROINDO A BASE DE NOSSAS FAMÍLIAS chamado de DROGAS?

Vocês podem até ficar pensando que generalizei ao falar que as drogas estão destruindo as famílias brasileiras, no entanto estou referindo-me basicamente as famílias esperantinenses.

Antes eu ficava pensando quando os lolós (lança perfume) e a erva do mal (maconha), espalhada nas mãos, nariz e bocas dos jovens esperantinenses, seria substituída por outra droga maior como resultado de uma globalização.

Hoje fico a pensar até onde a cocaína e a presença indiscutível do CRACK entre nós podem destruir os mais diversos segmentos da sociedade que nos rodeiam.

Posso até escrever vários artigos durante anos referindo-se ao tema aqui discutido, mas não vou chegar a lugar nenhum caso a mídia em geral de Esperantina abrace forte esta causa que já está presente e crescente em nosso meio.

O Estado e o Ministério Público local tem papeis fundamentais para a solução.

Isso não quer dizer que deixamos de ser todos responsáveis pelo que vem ocorrendo mesmo que seja de forma direta ou indireta.

Será que você que é pai pode perguntar: Como é que estou tratando meu filho?
E você que é mãe pode perguntar: Até onde estou sendo parceira da minha filha?

Manoel Soares (CUFA) diz:

"...sem prevenção a gente vai para a cova" "é de longe pior que a febre amarela, a dengue ou a gripe do porquinho"

Apontar os problemas é tarefa das mais fáceis. Difícil é? Resolver ou exterminar a raiz do problema político, social, econômico, cultural conhecido por CRACK.

Acredito que este problema é mais do que a falta de amor pela família, um aconchego humano este os amigos. Nossas crianças estão perdendo o rumo, caindo em um buraco sem volta, estão pagando o que fizeram ou que deixaram de fazer no passado próximo. Ou pelos que omitiram fazer alguma por eles (nossos adolescentes).

Não se brinca mais como antigamente. A consciência dos jovens amadurece sobre bases feitas de areias sem a presença paterna e materna.

Invés de dar conselhos, dão se vídeo games.
Invés de colocá-los no castigo, colocam em festas dançantes mais cedo possíveis.

Vamos cuidar dos nossos "FILHOS", "NETOS", "JÚNIORS" para que possam aprender a ser alguém na vida. Vamos ocupar-lhos de livros, de estudo, de esporte, de AMOR.

Caso contrário iremos continuar a caminhar para o fim de uma sociedade que já se encontra em decadência. Está na hora de repensar nos nossos valores e não nos vícios que a humanidade tem colhido como arma para fugir da realidade insana que estamos inseridos.

Ou pedrinha nefanda!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário