6 de outubro de 2009

AFINAL DE CONTAS VALE A PENA TER ESPERANÇA

Nos tempos que vivemos imersos em uma realidade conturbada! Há todos os instantes somos assolados por depoimentos, notícias e situações que testemunham à construção de uma Esperantina consumista e egoísta. Em primeiro lugar o que vale é poder, portanto o único interesse presente é voto.

Assim, é criado um sistema onde as pessoas valem aquilo que tem. As pessoas passam a ter valorização pelo que tem ou fazem. O “TER” confere existência. René Descartes dizia: “Penso, logo existo”, já o poder atual diz: “Tenha, logo exista”. Será que é possível inculcar valores materiais e posses em uma mentalidade supérflua e passageira? Vale a pena falar de esperança já aqui nesta terra diante da compulsão de aumento pelo pode?

Vamos criando uma Esperantina sem valores, objetivos, cujo resultado é a penhora de toda e qualquer esperança. Não se fala mais de interesses ou direitos, a única bandeira hasteada é exclusivamente a do “PT” “depois faremos” “reunião dia tal” “projeto e mais projetos” e AÇÕES, nada, nada...

Vale ressaltar que promessas fora muitas por parte destes vergonhosos políticos individualista e que não tem a coragem de visitar e nem mesmo de conhecer a história existencial, mas somente de se auto-satisfazer. Para o eu individualista não há sentido nenhum em alicerçar as promessas feitas. Não é tempo perdido, dispor um pouco de tempo para ajudar na construção de uma administração melhor, administração esta, onde todos os 8.331(oito mil, trezentos e tinta e três) votos,que lhe foram confiados apostaram em uma Esperantina melhor. Não se fazem presente em seus compromissos pensar ou articular meios suficientes para a confecção de sistemas dignos de moradia, saúde, assistência, educação e emprego, pois isso não faz parte da realidade de alguém que não se dispôs para sair de si e ir ao encontro dos demais.

Não nos é lícito deixar de acreditar na vida e muito menos cruzar os braços de frente as dificuldades. “Uma pessoa pode viver quarenta dias sem alimento, três dias sem água, oito minutos sem ar, mas nenhum minuto sem esperança” (Autor desconhecido). Deixar de ter esperança é o mesmo que deixar de viver, mas faremos correntes de oração para ajudá-los a lembrar e fazer o que nos foi prometido, para tal basta que deixemos passar tudo o que se coloca como resposta imediata, mantendo os olhos fixos naquilo que é importante pra nossa querida Esperantina.

Então Senhor Prefeito Francisco Antonio, fica aqui nossas esperanças, por cumprir tudo aquilo que nos fez votar no Senhor.

TEXTO- Esperança-Esperantina


OBS: Recebi este texto via e-mail, no entanto devo dizer que não publicarei materias sem o devido reconhecimento do autor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário