22 de fevereiro de 2010

Mistura da desconfiança

E aqui estou para declarar minha injúria sobre os atos do cotidiano que rodeia as vidas dos mais fracos.

Brasil é força da elite que polui nossas mentes, nosso modo de agir.

Para o Nordeste o Brasil sempre virou as costas.
Região pioneira do desenvolvimento verde e amarelo só agora recebe algumas migalhas industriais e indiferença social.

Liberdade a todos. Direitos respeitados. Bandidos atrás das grades já.

O terror político já reina. Denúncias fazem e aqui continuo a luta por uma vida igualitária.

Não sejam normais, não tentem fazer o que já foi feito por outros.
Não controle suas lucidezes. Fiquem atentos para o pior na esperança de uma vida melhor, se é que podemos ter.

A única coisa que sei é que o mundo é feito de coisas que não abastecem definitivamente nossas vontades.
Tudo é pouco para uma sociedade que sempre procura sarar suas necessidades.
Devemos saber do que gostamos e essencialmente do que não gostamos. Os malfeitores estão soltos.
Só em pensar nas riquezas que nos rodeia, homem aprendiz, eu fico com medo aponto de perder o sono.
Estamos envelhecendo e até aqui tudo bem. No entanto não podemos entregar os pontos.
Continuo a observar o alvo que serve de alicerce para os corruptos que querem continuar na corrupção.

Quando olhamos na mesma direção enxergamos uma linha que norteia um horizonte comum.
Todos, em estado civil, têm que dar sua contribuição para uma sociedade harmoniosa com direitos respeitados. Não devemos agir pela força do pensamento dos outros, caso isso aconteça você se torna refém de outrem.

Sempre existe razão nas coisas feitas pelo coração. No mundo atual que prevalece o interesse capitalista nem sempre é assim. Agir sempre é necessário com a cabeça. A razão é essa no mundo de discórdia e segundos interesses.
Hoje, para falar a verdade, não sei o que pensar daqueles que me governa.

A mistura de coisa ruim é muito grande. Chega a nos movimentar com olhos fechados. Caminhar sem rumos.
Eis ela (mistura):
Estupidez com alguns pedaços de mentiras dentro de uma jarra tapada com certas promessas não compridas em épocas de eleições não será o que quero para um Brasil promissor.

Caminhando unido com ódio e inveja e uma pintada de burrice não deve ser considerada o fim do túnel.
E antes de chegar ao fim não se esqueça das indiferenças causadas muitas vezes pela preguiça de muitos.

O momento não dar para eu ser diferente do que sou. Tenho muito que aprender dos atrozes da vida.
Tenho que pegar voo e tentar esquecer os males que me deixa desconfiado de qualquer ação de quem e do que desconheço.

Fto- br.olhares

Nenhum comentário:

Postar um comentário