20 de julho de 2010

A Política dos "Centavos"


Você tem que procurar a empresa certa.
Como vivemos tempos de grande concorrência, uma empresa não pode se dar ao luxo de investir de forma errada.

Com propriedade, disse um sábio que "o mundo não quer saber das tempestades que você enfrentou, quer saber só se trouxe ou não o navio." Ou seja, o resultado final é o que importa. Filosofias à parte, a missão que a matriz incumbiu sua filial foi clara: tomar de volta a primeira posição na venda de combustível em nossa cidade.
Os transportes da rede municipal de Batalha-PI são abastecidos na Matriz dos Postos Boa Vista aqui em Esperantina. Quase todos os transportes da rede municipal, estadual (todos os órgãos e departamentos) e empresas privadas de grande reputação também.
Os cartões de crédito só são aceitos na matriz. Será que já estão novamente aceitando o "Visa"?
Todas estas ferramentas denotam um valor abaixo da concorrência, certo? Errado.
Por alguns meses fiquei matutando em minhas escandalosas percepções o  porquê do preço mais alto na bomba(é o novo, é do tempo da bomba) perto do rio Longá, enquanto na mesma rede de distribuição aqui na avenida ser mais barato.
Certo dia um colega ao ficar no prego - falta de combustível -, que fique bem claro não era eu, próximo ao posto da avenida não foi possível sair de imediato do prego por não ter alguns centavos no bolso. Tinha apenas um cartão.
Teve que praticamente atravessar a cidade para comprar 1 litro de gasolina 33 centavos mais alto. Pouco? Sim, pouco.
Agora uma prefeitura, duas, três ou quatro prefeituras abastecerem mensalmente seus transportes a este valor a mais faz diferença para o empresário.
Negócios à parte. Caso fosse eu também faria o mesmo.
Não estou dizendo que esta política é errada, estou dizendo que descobri o valor da política dos "centavos".

Nenhum comentário:

Postar um comentário