24 de setembro de 2010

A Geografia e o acordar para a realidade!

Cidadão é aquele que tem a capacidade de interpretar e compreender, com autonomia, os acontecimentos do seu dia-a-dia.
Analisar a conjuntura provoca um olhar profundo sobre os atos.
A Geografia lhe dar suporte para ver em formato 3D. Antes de essa tecnologia surgir (3D) esta ciência geográfica já lhe mostrava uma visão em três dimensões.

Para ter esta visão detalhada sobre o complexo sistema que vivemos precisamos ter um método de como enxergar.
Alguns instrumentos são necessários:
* Acontecimentos: são os verdadeiros fatos que adquirem sentido especial para uma nacão de forma geral. O gol pode ser ou não um ACONTECIMENTO. Um gol na final da copa do mundo feito por Ganso é diferente de um gol de Nixo Dário na pelada do Pirão.

* Cenário: são os espaços onde acontecem as ações sociais e políticas. A cassação do ex-prefeito de nossa cidade. Câmara cheia de opositores, gritos de alegria pelas ruas da cidade e choros de amantes desse atraso governamental de Esperantina. Outubro de 2008 é bem diferente de Outubro de 2010.

* Atores: um indivíduo é um ator social apenas quando representa algo para a sociedade. Sua sugestão, denúncia, idéia de forma geral pode fazer de você um ator para um Brasil melhor.

* Relações de forças: os diferentes atores estão constantemente em relação uns com os outros. Esta relação pode ser de confronto, coexistência e de colaboração. Muitas das vezes revelam domínio, igualdade ou de subordinação.

Nesse espaço/tempo que vivemos atualmente, início de século, as relações são demonstradas por uma conjuntura de falsidade. O que vale é o interesse.

Ao fazer uma breve e simples analise podemos  ver que a nossa política é podre.
O candidato JVC foi eleito pelo W. Dias. Esta relação era de harmonia. O tempo passou e agora é de confronto. Confronto de interesse. Aqui falta gratidão. "O governo de W. Dias era bom e agora é péssimo" falou JVC. E isso acontece em Esperantina. Seu Chico não prestava e hoje por estarem mamando na casa da mãe Joana é o melhor governo. Vejam só Maurício Costa.

Não devemos fugir da realidade de que as relações de forças são mutáveis. O interesse é único: ganhar e ganhar.
Ainda temos tempo para analisar para não surpreendermos com tantas surpresas que a realidade guarda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário