11 de novembro de 2010

Armistício e o Diretor de Escola.

Este poder passa.
Queridos colegas, minhas sinceras saudações.

Simbolicamente a noventa e dois anos chegava ao fim a Primeira Guerra Mundial (11 de Novembro de 1918).
Esta data comemora o Armistício de Compiègne, assinado pelos aliados e o império alemão na França.
Geograficamente chegava ao fim um dos momentos mais evolutivos da espécie humana no contexto histórico.

Nessa mesma data se comemora o dia do Diretor de Escola. Recentemente Esperantina perdeu mais uma batalha no campo da democratização educacional. 

Os incansáveis vereadores reprovaram o direito dos alunos e comunidade escolar de escolher os diretores das redes municipais de ensino da Terra de Leonardo das Dores.

Vocês podem me perguntar o que tem haver Armistício com diretor de escola. Explico o motivo do sugestivo nome dessa matéria, para tanto se faz necessário saber o que é Armistício.

Armistício, para o "Wikipédia", é a ocasião na qual as partes envolvidas num conflito armado concordam com o fim definitivo da guerra.
Diretor é, antes de tudo, um educador. Em suas mãos há uma grande soma de responsabilidades que não irei destacar aqui.

No entanto se faz necessário mais humildade por parte de alguns aloprados diretores do nosso Brasil que só dificulta o desenvolvimento da educação brasileira.
Quando chegam a este patamar, muitas das vezes sem competência alguma e por apadrinhamento, certos mortais olham para seus antigos colegas de sala de aula com uma áurea de superioridade. Daqui começa um conflito, pessoal e profissional, que só irá dificultar o ensino-aprendizado de nossos alunos.

Não por experiência própria, pelo contrário, dos três diretores que tenho nenhum, até agora, não conseguiram me provar este mal que assombra os humanos - FALTA DE HUMILDADE.

Destes já meus parabéns diretores de escola e que o mais rápido possível possamos ter o direito de escolher quem vai dirigir nossas escolas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário