16 de dezembro de 2010

Como descrever uma noite ao mesmo tempo alegre e odiosa?

Acabo de chegar à minha casa depois de uma noite muito cheia.

Não me leve a mal Assis Fortes muitos menos Valdemir Miranda por não ter participado do lançamento de seus livros, mas esta noite tinha que sair de casa e ficar a observar outro conterrâneo sendo almejado pelo público estando eu entre este.
Ao sair de casa fiquei a me indagar como seria uma noite de autógrafos pelo lançamento de um livro.
Várias passagens passaram na minha cabeça.
Só não passou ver outros conterrâneos não patriotas silenciosos durante o Hino de sua própria nação. Silenciosos por não saber entoar o próprio Hino ou por respeito aos mortos como se fosse a celebração de um defunto?
Mais do que isso a postura de uma noite impar para todos nós esperantinenses não deveria ser de braços cruzados ou mão unidas na parte da frente do tronco durante a mais bela música que uma nação pode ter, seu próprio hino.
Para finalizar vieram àqueles desnecessários aplausos para celebrar a mais idiotize dos inculturados.
Como o próprio autor falou "devemos consumir cultura, devemos produzir cultura".
E este povo sabe o que é este negócio de "cultura"?
Só não vou ali ao banheiro vomitar de tanto repúdio por esta postura porque já é madrugada e isso pode acordar meus pais.

No entanto a noite não foi apenas odiosa. Tiveram sim suas magnitudes.
Um jovem Bruno Produções também se destacou nesta noite.
Jovens cantando e tocando o que estão aprendendo com um alemão.
Sem falar, é claro, no comportamento do autor. Nítido, claro, transparente, calmo, pelo menos na aparência, cuidadoso, atencioso, em suma, carismático por apresentar seu livro à sua terra natal.
Que este livro venha não apenas preencher uma vaga na prateleira e sim despertar para a leitura, para o conhecimento sobre o "eu".

Depois de folhear rapidamente o livro acho que devo descansar, dormir ou mesmo sonhar com um mundo  menos tendencioso, furioso.

Quando ler por completo o livro prometo que volto aqui para tc sobre minhas visões e guardarei as lembranças por está presente no lançamento de seu livro seu Roque Neto.

Resta-me dar-lhes uma Boa Noite.

Um comentário:

  1. Bom dia Macelino!

    Fiquei muito contente com sua presença no lançamento de "Narciso: Tédio e Fúria".

    Apesar de esta ser a primeira vez que deixo um comentário no "Espaço Geográfico", sempre leio e aprecio seus textos.

    Obrigado. Gostaria de continuar em contato com você.

    ResponderExcluir