4 de fevereiro de 2011

Grandes obras, pequenos homens.

Oxalá, oxalá ...Oxalá, oxalá!

O mês de Janeiro terminou com inaugurações de grandes obras em nossa cidade, então peço a vocês para falar comigo: Oxalá, oxalá ...Oxalá, oxalá.
Queridos mortais que um dia irão levar apenas barro nos peitos digo: o gestor do executivo esperantinense gastou mais com propagandas das "obras públicas" do que com as próprias "obras".

Na terra dos tupis-guarinis é notório observar obras nas bocas sujas de políticos. Mesmo assim, às vezes, uma única palavra é a melhor argamassa. Portanto onde houver obras públicas não deponhas sua obra, pois, pode você, atrapalhar os trabalhos.
Não quero atrapalhar ninguém da mesma forma que não quero que ninguém atrapalhe os meus pensamentos sobre o que é melhor para mim e quem me rodeia.

Em Esperantina não é diferente.

Eis algumas obras de Janeiro:
Quebra-mola da Baixinha; traves, repito, instalações de traves nos campos de futebol,  iluminação pública nos interiores (é o novo, é do tempo do INTERIOR), reformas de algumas escolas (essa está de parabéns) e, e , e, e, e, e, e, e, e, e a inauguração de uma PONTE.

Sem pontes não há como atravessar o atraso econômico entre as promessas e as efetivas obras que mudarão nossas vidas.
Pobres homens que ficam com inveja daqueles outros pobres homens que tem carros caríssimos, come caviar e andam com roupas que variam de 1 mil à 10 mil reais com se estes últimos homens pobres não cagasse.

Então porque ter inveja das cidades que hoje vive cercada de obras públicas de vergonha? São obras pequenas não é mesmo Seu Chico? O importante está fazendo alguma coisa, mesmo que seja pequena. Já disse em uma post anterior que o mundo é feito de coisas pequenas, então reflitam comigo: não precisamos de um grande estádio de futebol, muito menos de uma área de lazer nas margens do Longá, uma cachoeira revitalizada, uma CEF, a Patriotino asfaltada, praças de esportes nos bairros, emprego e renda para quase todos os homens e mulheres que hoje vive na periferia de uma vida digna.

Oxalá, oxalá e o mês de Fevereiro está aí exatamente para continuarmos no oxalá, oxalá de grandes obras feitas para/por pequenos homens.
Fto- eclético

Nenhum comentário:

Postar um comentário