12 de julho de 2011

"Proclamação da Republica foi resultado de um chifre"

Prof: Antonio Carlos de Andrade
Ainda dizem que nem tudo na vida tem seus dois lados da moeda. Um lado bom e um ruim.

Esta frase que intitula nossa postagem nada mais é de um Doutor em Economia pela USP professor deste de 1981 do Departamento de Economia da UFPI - Antonio Carlos de Andrade, no momento um dos meus professores na Universidade de Administração.
O mesmo explica que a Proclamação da Republica, 1889, se deu em um momento onde acontecimentos espetaculares e traumáticos eram sentidos em nosso país, um deles, bem menos importante, era o fuxico.
A Proclamação aconteceu sem nenhum derramamento de sangue quando D. Pedro II, imperador do Brasil, se encontrava no exterior.
Saiu um fuxico de que Gaspar Silveira Martins, um político gaúcho e inimigo amoroso de Marechal Deodoro, tinha sido nomeado para a Chefia do Novo Gabinete do Imperador.
Sabendo da notícia Marechal Deodoro, amigo de D. Pedro II, tomou o poder de Princesa Isabel, que no momento representava seu pai no poder monárquico brasileiro, e Proclamou a Republica em 15 de Novembro de 1889 antes do seu inimigo chifrador.

Já pensaram viver em uma Monarquia? Ou já pensaram viver em mundo sem Fuxico? Os ideais e misturam, a conjuntura política de hoje não diferem tanto de outrora e o chifre reinava na burguesia imperial. Eita.
Proclamação da Republica

Ftos: revistaeda e quediaehoje.net

Nenhum comentário:

Postar um comentário