27 de agosto de 2011

Trocadilhos!

Fudeu!
Agora fudeu de vez!
Como é engraçado nós que temos uns velhos e desnecessários trocadilhos.
Não sei como as "letradas" (professores de Português) chama isso, mas nós temos certos costumes linguísticos.

Não me refiro ao palavrão do início da postagem, pois não tem caralho nenhum que faça homens da comunicação esperantinense deixar estes trocadilhos.
É uma puta que pariu ter que ouvir:

"De forma que, de forma, de forma que" e por aí vai. Sabem de quem estou falando? Deixa pra o final.
"Enfim, enfim, enfim, enfim, enfim" que não tem fim para este enfim. Este acho que vocês sabem de quem é.
"Aí, hoje, aí, hoje, aí, hoje, aí, hoje" E esse dar para descobrir?
"Né? né? né? né? né? né? Acredito que nem fudendo vocês descobrem esta.
"P, p, p, p, p, p, p. Quanta maldade com este que vos escreve.

Fora estes você já comeu Paver hoje? Não? É claro que não, Paver é para ver e não para comer.
Não comeu Paver mais vai pagar a conta. Sabe porquê? Porque sentou na ponta da mesa. Esta é velha.

Voltando e descobrindo todos devo dizer que DE FORMA QUER é do Gestor Chito Antonio. Tem horas que me dar enjoo de tanto ouvir DE FORMA QUE me seus pronunciamentos.
ENFIM estamos chegando ao fim dessa postagem. Todos os dias o ENFIM está presente na boca dos locutores Márcio Linhares e Izânio da Esperantina FM, sem falar que o que não é o AÍ DENTRO, o HOJE e o também dão vaontade de vomitar de tantas vezes serem repetidos.

Agora o P é de minha autoria, isso de acordo com o Zé Riba. Diz ele (Zé) que toda vez que falo pronuncio o P ou no início da frase ou no final. Acho que é brincadeira, mas aqui ficam minhas brincadeiras para o fim de semana que está chegando.
Abraços

Nenhum comentário:

Postar um comentário