9 de janeiro de 2012

Quer comer em Esperantina, aqui vão alguns pratos!

A saúde é direito de todos e dever do Estado!
Sair para comer em Esperantina dar dor de barriga. Nem eu que palmeirense que sou e fã do porco não aguento mais. È porcaria de mais.
Depois dizem que não dar para viver em Esperantina por que aqui não dar dinheiro. Oras bolas! Se tiver que trabalhar darei o meu melhor.
Tem um ditado oriental e que foi adaptado ao ocidente que diz que toda vez que um cliente das bandas do velho mundo (Europa) e do novo mundo (Américas) saia de um determinado estabelecimento comercial de certo senhor das bandas da Índia ele (senhor) falava: OBRIGADO POR AJUDAR A CRIAR MINHA FAMÍLIA.
Os estabelecimentos daqui de Esperantina, pela aparência, estão demonstrando: OBRIGADO POR FAZER MINHA FAMÍLIA PASSAR FOME.
Certo restaurante de Curitiba, o maior da América Latina, é vencedor de inúmeros títulos de melhor atendimento e de comida com qualidade. Este restaurante, que aqui não vou citar o nome, pois não faço mechandising, oferece em seu rodízio italiano 14 pratos.
Aqui vão 14 deliciosos pratos que os estabelecimentos de nossa cidade oferecem em seu CARDÁPIO:
1º - Recepção com calçada suja, sem falar da falta de estacionamento;
2º - Cadeiras e mesas deterioradas;
3º - Para esconder, as mesas as tolhas cheias de fungos e restos de comida da "família" anterior;
4º - "Menu" desatualizado e rasgado;
5º - Demora no atendimento;
6º - Atendimento por quem fuma e mal vestido;
7° - Recepção com um: O QUE TU QUER?
8º - Música em telão para quem tem ouvido de pinico;
9º - Falta de carisma por parte dos funcionários do estabelecimento;
10º - Infra-estrutura física em moldes "rústicos", ultrapassados;
11º - Pedido que demora chegar;
12° - Comida nada saborosa, com exceção de alguns lugares;
13° - É preciso pedir duas ou três vezes a conta e;
14° - Nem um OBRIGADO, VOLTE SEMPRE, FOI UM PRAZER etc.

Não precisa ser treinado para ser educado. 
Devemos falar que só depois que sentamos é que o garçom nos enxerga. Não deveria eles nos apontar um bom lugar para usufruímos certo serviço, serviço que ajuda a colocar o pão de cada dia nas casas desses ditos garçons e funcionários como um todo? Não bastasse, tem garçom que anda atrás da gente (não seria o correto estes garçons nos levar até a mesa? Garçom que fala baixo, que precisa ser chamado por inúmeras mãos ao ar quando não até mesmo com uns gritos. Detalhe que nem sempre o local está cheio.
Não estamos aqui com o intuito de menosprezar o que é nosso muito menos dizer que o bom é o que está lá fora de nosso meio. Não queremos tão pouco afastar os turistas nesta época de festejo, carnaval e semana santa.
Pelo contrário, queremos é atrair mais visitantes, agradar os conterrâneos, em especial a minha família, mostrando erros inadmissíveis em estabelecimentos que ofereçam alimentos, crus ou cozidos, para melhor vivermos.
Depois não venham me pedir uma gorjeta por péssimos serviços ofertados, pois é capaz de dizer:
"É a primeira é última vez que você me veja aqui" (André Lopes).

Fto - elohimomer

Nenhum comentário:

Postar um comentário