22 de maio de 2012

Ditadura educacional no Morro do Chapéu?

Nosso sistema educacional está correto?
Esta é outra pergunta que se faz perante o momento atual da educação brasileira que está longe da paridade econômica em que nos encontramos.
Várias foram as teorias educacionais trazidas para o Brasil Tupi Guarani. E aqui podemos citar a Behaviorista que dizia que se escolhesse uma criança de forma aleatória poderia transformá-la no que quisesse desde um médico ou engenheiro a um mendigo ou ladrão.
Infelizmente deram, inicialmente, atenção apenas ao discente e deixaram de fora o docente.
Agora quem está pagando o preço somos nós profissionais da educação que por muito tempo viveu e vive, em muitos casos, ainda no esquecimento.
O sistema capitalista é o grande culpado, isso reconhecemos. Não é apenas dos políticos partidários e governantes de uma forma geral a grande culpa.
As leis são inúmeras que organiza este sistema. Uma delas diz que professores tem de ficar 1/3 fora de sala de aula (STF).
Mas para a tristeza de todos as Leis Educacionais da vizinha cidade do Morro do Chapéu do Piauí que tem como gestor Lucídio Rebelo e como Secretária Maria Teresa estão de contra mão ao desenvolvimento intelectual dos profissionais que fazem parte da rede municipal de educação bem como dos próprios alunos.
Vários são os relatos de professores que sentem-se humilhados pela ignorância operacional daqueles que fazem a governabilidade do município do Morro do Chapéu.
Enquanto alguns municípios da Região dos Cocais dão dois dias de folga para os professores, no município citado no máximo é um dia de folga.
O pior de tudo vem agora: caso um professor tenha apenas uma aula no dia, o mesmo deve dar a aula, mesmo que seja o primeiro, e esperar até o fim do turno para se ausentar da escola, ou seja, o professor termina sua aula às 13:50 e deve permanecer no estabelecimento educacional até às 17:20 hs quando termina a última aula.
Isso não é ditadura? Caso não seja o que é mesmo?
Mas tem mais. Além de permaneceram na escola os professores e qualquer outro profissional da educação são proibidos de discordarem dessa política que só atrasa ainda mais este país.
Somos a favor sim dos 200 dias letivos completados, da carga horária de cada professor ser cumprida, agora vim dizer-me que além das aulas temos que está quase todo dia na escola e quando chegar na escola devemos permanecer mesmo sem fazer nada isso jamais iremos aceitar.
O que aceitamos é o reconhecimento do docente pelos anos de estudo através de uma boa remuneração, estrutura adequada de trabalho, cursos profissionalizantes, etc.
Por este motivo de tanta retalhação que não vejo muito menos ouço reclamações para como o Gestor e também para com a Secretária daquele município.
Fto - 3 - Lucidio Rebelo


Fto 3 - 180graus.com

Um comentário:

  1. Esse publicação foi pequena, diante da verdadeira DITADURA enfrentada pelos funcionários do Morro do Chapéu.Se fossemos postar daria umas 500 paginas de abuso de poder do atuais gestores daquele município.

    ResponderExcluir