23 de julho de 2012

Os Sindicatos do "cabresto"

Depois de mais de 2 meses de estudo e passada a eleição do SINSPUME devo afirmar que o Sindicato, de uma forma geral em nosso país, está em decadência. É claro que não muito diferente dos da terra dos cocais.
"A sindicalização é um direito político garantido na Constituição Federal. É conhecida como a forma mais adequada de que dispõe o operariado para encaminhar suas reivindicações materiais, imateriais, qualitativas e quantitativas" (Milton Santos).

Criado inicialmente para lutar a favor dos funcionários que muitas das vezes sentiam e sentem até hoje prejudicados com os vários atos impróprios de seus superiores o Sindicato nasceu meio ao auge do capitalismo. As insatisfações dos funcionários são inúmeras e todos já sabem disso. Por este motivo sou filiado, sim, ao sindicato dos funcionários municipais de Batalha-PI na tentativa de que meus direitos sejam respeitados mesmo que tenho que pagar uma quantia mensal para sustentar tal instituição.

Pois bem. Observando o comportamento das Eleições do SINSPUME este ano pude detectar algumas anomalias que me fizeram concretizar que o Sindicato brasileiro está mesmo em ruínas.
A candidata eleita com 103 votos a favor para continuar à frente do SINSPUME (Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Esperantina), afirmou que não irá assumir o cargo - clique AQUI.
Perguntamos: e por que se candidatou se já sabia dos inúmeros problemas dessa instituição? Podem até responderem dizendo que se candidatou para resolver tais problemas. Mas digo: e por que não assumiu o cargo?
Coitados de vocês funcionários municipais de Esperantina, pois quem deveria está lutando por seus direitos está abaixo da asa do gestor municipal, pois trabalha para a prefeitura. Sendo assim, acreditamos que caso o atual gestor vença as eleições de Outubro o Sr. James Luiz (vice da candidata eleita) irá permanecer o cargo. Horas bolas.
Candidatou-se para garantir um trabalho em 2013 caso Chico Antonio não esteja mais no poder, ou seja, caso fosse assumir a cadeira teria que desconsiderar as greves e reivindicações da classe para atender, não só um direito político, mas também um direito econômico da própria classe.
Os direitos elementares dos brasileiros ainda não estão todos concretizados e os sindicatos devem sim observar isso, pois mesmo não sendo um grupo político devem sim lutar de forma política para atender e alcançar seus objetivos que nada mais é do que a satisfação dos funcionários e não do Poder Executivo e Legislativo como é facilmente percebido aqui, ali, "acular".

Um comentário:

  1. isso é uma realidade deprimente, e se dá em todo país, já é sabido que o movimento sindical em países periféricos é por demais incipientes e fracos e quando tais sindicatos estão contaminados por indivíduos que carregam interesses não da classe, mas de agremiações partidárias, o que é ridículo,tais sindicatos, se tornam mais alienados ainda, o PT sabe como ninguém, manipular os sindicatos do país.A política do cabresto continua, só mudou os artifícios, a roupagem, mas manipulações continuam, "ABRA O OLHO SERVIDOR."

    ResponderExcluir