28 de setembro de 2012

3º "Réu" Geográfico a responder o Advogado Geográfico foi Kiara



Queridos leitores e ELEITORES devemos dizer que as perguntas geográficas começaram a serem respondidas. O terceiro "réu" geográfico a responder o "julgamento" esclarecimento político do "Advogado Geográfico" foi esta jovem KIARA da coligação 13 e com o número 13666. 
Vamos às respostas:

Kiara, você é daqui mesmo de Esperantina?

Nasci em Teresina, mas minha mãe veio comigo de volta pra cá quando eu tinha só três anos de idade. Minha família é toda daqui, originada principalmente, na localidade da zona rural, Várzea. Voltei a morar em Teresina aos treze anos e fiquei lá por dez anos, mas sempre vindo passar férias e finais de semana. Nunca me afastei muito tempo de Esperantina, voltando a morar definitivamente aqui em 2004.

Jovem candidata, porque está apoiando o 13: é porque está trabalhando, concursada, dentro da secretaria de educação ou é porque já faz parte da base aliada?
Sou uma apaixonada pela ideologia do PT e toda a sua história de luta em prol dos direitos dos trabalhadores, trabalhadoras e por uma sociedade justa e igualitária desde que comecei a compreender e a me engajar em debates políticos e movimentos sociais. Me filiei ao PT em 2008, não pela conjuntura política de Esperantina na época, mas inspirada pela juventude petista do estado do Piauí e de Teresina que se apresentou pra mim exatamente da maneira que eu imaginava que a juventude deveria ser, participativa. Sou funcionária da prefeitura, lotada na secretaria de educação, por ter sido aprovada para o cargo de digitadora no último concurso realizado, não tendo o meu emprego qualquer ligação ou influência político-partidária.

Infelizmente nossa juventude ainda não é bem esclarecida: o que irá fazer, caso vença as eleições, para mudar esta realidade?
O trabalho de conscientização é uma tarefa difícil, mas necessária e deve ser constante. A juventude de Esperantina, em sua maioria, é uma juventude vítima do próprio comodismo e do fato de não ter muitas opções ou espaços que possibilite o protagonismo juvenil. Muitos tem opinião formada sobre as questões político-sociais do nosso município, mas ainda não se conscientizaram o suficiente pra mostrar a cara, entender que devem ser parte do processo, se mobilizar, se organizar, fazer grandes manifestações e com a força popular fazer acontecer.
Eu venho tentando, junto a amigos e amigas que também entendem a importância de formar cidadãos mais críticos e participativos, conscientizar essa juventude e como vereadora de Esperantina eu serei uma voz que irá mais longe, terá maior alcance, romperá barreiras, que falará em defesa dos desejos e necessidades desses jovens e suas especificidades e os chamará à luta quando for hora de lutar!

O que devemos esperar de você no campo da SAÚDE, ESPORTE, EDUCAÇÃO?
Compromisso. Em todas as áreas. Acredito que todo e qualquer vereador tem estar preparado e se comprometer com todas as questões inerentes à população e a cidade. Imagino que seja papel do vereador reivindicar investimento no aparelhamento das unidades de saúde e contratação de especialistas a fim de aumentar os tipos de atendimento realizados no município e diminuir o número de pacientes transferidos para a capital. Há que se cobrar investimento em espaços esportivos nos bairros para que se incentive a prática das mais variadas modalidades esportivas, além de dar suporte aos atletas que possam representar o município em campeonatos estaduais e nacionais. A educação municipal precisa ser informatizada. Alunos de séries iniciais com dificuldades na aprendizagem da leitura, bem como alunos com necessidades especiais, por exemplo, podem ter o processo de aprendizagem facilitado com o uso de computadores e softwares específicos. Para isso é necessário que todas as escolas municipais contem com um laboratório de informática adequado e com profissionais capacitados e que compreendam a importância da informática na formação dessas crianças e adolescentes.

Os direitos são iguais, então o que lhe faz merecer um voto?
O pensar diferente da maioria me faz merecer o voto. O desejo de provar para a população que um vereador pode e deve ser atuante de verdade, que um vereador pode e deve estar presente nas comunidades diariamente ouvindo os problemas e necessidades e defendendo, não apenas o que se entende ser bom para as pessoas, mas também o que cada comunidade entende ser melhor para aquele local. A vontade de ver a Câmara Municipal servindo efetivamente para a população, de ver o jovem se sentir valorizado e verdadeiramente representado, e principalmente, pelo o compromisso que eu fiz de realmente propor, requerer e defender considerando as prioridades da cidade como um todo, mas também específicas de cada bairro e cada localidade.

Qual sua escolaridade: sabe ler, ensino fundamental, médio, superior ou apenas sabe ler figurinhas?
Sou universitária, acadêmica do curso de Sistemas de Informação pela Universidade Aberta do Piauí. Sei ler e gosto de ler, mas gosto muito das figurinhas também. Rsrsrs...
Considero esta pergunta de extrema relevância, considerando que esta não tem sido uma preocupação primeira do eleitor na hora de escolher os seus representantes, quando na verdade acredito ser de entendimento da maioria que um político que não lê (por não saber ou por não ter o hábito da leitura) tampouco será capaz de desempenhar adequadamente o papel que lhe cabe.

Têm algum trabalho relevante realizado para nossa gente?
Meu trabalho e ação mais relevante para a cidade de Esperantina tem sido de alguns anos pra cá o de tentar conscientizar as pessoas, sobretudo jovens, mulheres e homossexuais a lutarem por seus direitos. Em conjunto com várias outros nomes de luta e movimento social em Esperantina, já foram realizados na cidade conferências, encontros de juventude, oficinas, e através dessas mobilizações nós conseguimos recentemente que fosse apresentado e aprovado na Câmara Municipal o projeto de lei que dispõe sobre a criação do Conselho Municipal de Juventude, e o objetivo, não só meu como de todos jovens que sempre estiveram comigo nessa luta é ter em Esperantina uma coordenadoria de direitos humanos e juventude ou a própria secretaria de juventude. Eu não fiz, não faço e nem pretendo fazer nada sozinha. A minha missão é levantar a juventude, ocupar os espaços que nos são de direito e escrever nossa própria história.

Conhece das leis orgânicas, código de postura, orçamentária?
Não conheço, mas pretendo me empenhar para conhecer a fundo, caso eleita, já que são leis essenciais para o desempenho do trabalho do vereador. Se são essas as regras que ditam o que pode e o que não pode, então é obrigação de todo vereador estar por dentro.

Caso vença junto com seu candidato a gestor, você irá reivindicar melhorias ao seu candidato ou apenas irá bajular para se dar bem no fim do mês?
A primeira coisa que eu fiz ao cogitar a possibilidade de me candidatar à vereadora aqui em Esperantina foi perguntar ao representante do conselho de ética do meu partido: Se eu me candidatar e for eleita junto com o meu prefeito, eu poderei fazer minhas críticas quando não concordar com alguma coisa como deveriam fazer todos os vereadores ou eu devo apenas dizer "amém" pra tudo? E ele respondeu: Você não só pode como deve! Era tudo o que eu queria ouvir. Eu pergunto, questiono, critico, seja quem for, doa a quem doer. Acredito que os representantes dos poderes legislativo e executivo de um município tem que garantir a transparência de suas ações e a participação popular.
Não nasci pra bajular ninguém. Já perdi um emprego porque não sabia ser puxa-saco e chamei meu chefe de babão.

Qual sua opinião sobre o tabu da homossexualidade esperantinense, onde muitos estão se prostituindo? Qual sua solução prática para esse problema público?
Não existe solução prática ou milagrosa para que a sociedade deixe de ser preconceituosa e pare de empurrar cidadãos e cidadãs homossexuais para a margem da sociedade, discriminando, excluindo, ofendendo, agredindo e rejeitando pessoas. Eu sempre lidei muito bem com a minha sexualidade e por ter sido sempre aceita e respeitada na minha família e círculos de amizade, eu nunca tive problemas graves com relação a isso, mas mesmo assim tenho acompanhado de perto e poderia citar vários casos graves de preconceito dentro das próprias famílias, nas ruas, nas escolas,... A sociedade esperantinense de modo geral ainda é homofóbica.
O que o legislativo municipal tem a obrigação de fazer e propor e cobrar ações afirmativas que valorizem e deem visibilidade, educação, saúde, cultura, trabalho e lazer a essa significativa parcela da população esperantinense.

O que têm a dizer sobre esta numerosa quantidade de candidatos desse ano?
Acho que tem candidatos demais sem um propósito realmente sério ou o que é pior, com propósitos escusos. Infelizmente a maior parte do eleitorado ainda não é suficientemente crítica e politizada para exigir um nível melhor dos candidatos. Qualquer pessoa pode se candidatar, mesmo sem representatividade, sem trabalho de base. São mais de cem candidatos e mesmo assim é difícil dizer o nome de treze com competência, caráter e comprometimento único e exclusivo com a cidade e o bem-estar da população.

Qual sua principal bandeira de luta nestas eleições?
Jovens, mulheres e homossexuais, no que se refere à justiça social, visibilidade, protagonismo juvenil, trabalho, cultura, direitos humanos e combate à violência.

Tempo atrás você criou um meio de comunicação na internet para demonstrar certos problemas urbanos de nossa Esperantina: por que parou de mostrar estes problemas?
Criei o Blog do Retiro em abril do ano passado com o intuito de publicar artigos escritos por mim com temas relevantes para o município, dentre eles política local. Os textos eram críticos com umas pitadas de humor e a intenção não era mostrar só problemas urbanos. Escrevi sobre a importância do voto consciente e também sobre os bajuladores que estão sempre do lado de quem ganha. Mas teve um em específico que teve um maior destaque e esse sim tratava de sérios problemas relacionados a urbanização e saneamento básico. Parei de atualizar o site em junho porque outras atividades me tomaram todo o tempo e retirei do ar recentemente porque tentaram usar essa única matéria com intuito político-eleitoreiro sem sequer ler os outros textos, só olhando as figurinhas.

Caso tenha uma oportunidade de resolver tais problemas, como irá fazer?
Infelizmente vereador não pode fazer muita coisa, só se tiver mesmo muito sangue no olho. Mas me comprometo a cobrar e fazer muito barulho até o prefeito eleito enxergar, se posicionar e resolver os problemas da cidade. Sempre pautada na verdade, na coerência e na possibilidade real de se resolvê-los.

TEM ALGUMA ESTRATÉGIA PARA ESCAPAR DA "CHICA COMILONA"?
A famosa "porca"? kkkkkkkkkkkkk... Eu acho graça toda vez que ouço essa conversa... Já li a respeito da origem dessa história de porca e ao que me parece foi atribuída a um político de Campo Maior que pretendia trocar uma urna legítima das eleições por uma urna falsa cheia de cédulas com votos pra ele, mas ao chegar à moita onde havia escondido o instrumento da maracutaia, uma porca tinha devorado tudo e ele não teve como aplicar o golpe.
Não existe estratégia. Quem decide são os eleitores.

Você é a favor da diminuição dos salários dos vereadores?
Sim. Totalmente a favor da redução de salários de todos os cargos políticos. Quem sabe assim, menos aproveitadores se candidatavam e mais pessoas comprometidas assumissem os cargos de representantes do povo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário