22 de dezembro de 2012

É mais barato limpar do que não deixar sujar o Rio Longá.

Para limpar as caras e a conciência
Está mais do que comprovado que nosso Rio Longá pede socorro. Isso urgentemente!
Limpar sai mais barato do que sujar.
Limpa-se com alguns voluntários, por poucas horas e com certas vassouras e sacolas plásticas para juntar o lixo. Certo? Certo!
Mas será que está "certo" esta atitude de poucos humanos esperantinenses?
É evidente que só os humanos irão salvar o Rio Longá. E quem são estes? Eu e vocês que temos a consciência da importância do Rio bem como sabemos por onde devemos começar a salvar-lo.
E eu digo que apenas limpar não é suficiente.
Ainda como aluno da antiga "Unidade Escolar" Leonardo das Dores, na década passada, participei de um mutirão de limpeza em prol do Rio Longá. Alguns professores se reuniram em um grupo para salvar esta nossa riqueza natural. Sem muito conhecimento na área, não muito diferente de agora, risos, fui com alguns colegas de escola mais preocupados em ganhar alguns pontos no fim mês na mesma matéria que hoje tento ensinar aos meus alunos - GEOGRAFIA, do que fazer meu papel de cidadão preocupado com o Meio Ambiente.
Durante a limpeza percebi que não estava fazendo o mais adequado. Assim veio a pergunta: por que estamos a limpar as margens do rio? A resposta não demorou muito: porque alguém ou alguns sujaram. Deveria eu está fazendo a obrigação dos outros? Sem consciência não, mas nos dias atuais sim. Mesmo com a resposta na ponta da língua hoje devo mostrar a todos que aprendi que o importante é não limpar. 
A grande questão de limpar ou não sujar é que: não sujar leva tempo, pois a educação vem a passos longos e até o ser humano se conscientizar de que não sujar vale a pena demora muito tempo. Já limpar, mesmo com ou sem conhecimento, basta poucas horas e um esforço muscular dos braços e pernas e nada mais. Isso leva pouco tempo, no entanto não é o mais correto.
Infelizmente nosso Rio vive mais de status do que de ações planejadas sem levar em conta projetos de governos de 4 em 4 anos.
O Rio vai permanecer feio ou bonito, até amanhã ou até o fim de mais um governo passageiro. E daí, o que vamos fazer? Limpar ou continuar a sujar?
As políticas de preservação do Rio Longá devem ser dirigidas para a não degradação, ações duras e rígidas sobre o comportamento humano de todos os dias. Legislativo, Executivo e Sociedade Organizada devem se abraçar para salvar este patrimônio que nos salva todos os dias.

Coitadas:

Nenhum comentário:

Postar um comentário