26 de dezembro de 2012

Retrocesso de Progresso.

Foto 01 - Arquivo pessoal
Mesmo sobrevivendo devemos continuar a viver.
Dias atrás fui convidado para participar de um "comes e bebes" em comemoração à formatura e aprovação no teste da OAB de uma colega do Ensino Médio.
Tudo bonito, comida e bebida a vontade. Amigos, parentes da anfitriã presentes.
Até aqui tudo bem.
De repente sinto vontade de ir ao banheiro tirar o líquido do joelho. Durante o percurso olho de lado e vejo a imagem 01 (foto 01). A tristeza imediatamente me cai, sinto vontade de ir para casa e não mais seguir até o "toalete' . Mas não, não vou para casa, até porque a festança é para minha colega e não para o egoísmo dos homens de mente poluída.

O local? Zona rural de Esperantina a cerca de 5 km do perímetro urbano, mais precisamente na fábrica de Tijolos do grupo empresarial Geraje Construções.

Este é nosso mundo atual onde para a geração de renda, aumento de empregos a poluição sonora e atmosférica torna-se necessárias para nossa sobrevivência. O paraíso está virando lixão, o progresso um cão, interesses econômicos mais do que pão.
A fome aqui não é de alimentos. A fome aqui de poder. A natureza sempre a perder nada pode fazer. A zona rural de Esperantina está sofrendo como este progresso alienado por não está sendo feito com respeito.

Podemos sim continuar a gerar riquezas utilizando a natureza. Podemos sim festejar a formatura de quem quer que seja sem precisar sofrer os males da poluição deste que estejamos em locais limpos de mentes sujas. Podemos sim sair de casa e ver os humanos a trabalhar em prol da própria sobrevivência deste que tenha conhecimento que primeiramente devemos preservar a natureza (sustentabilidade) e assim passar a viver com harmonia com o meio natural. Os males dessa ação de não conservação são inúmeros: lenha para a queima dos tijolos sendo retirada de nossas poucas florestas sem nenhuma fiscalização e o pior de tudo sem reflorestamento; fumaça provocando doenças aos idosos e crianças da localidade Tapuio; barulho altíssimo, poucos impostos ao governo municipal entre tantos outros problemas diretos e indiretos.

Viver para não morrer. O retrocesso do Progresso está aí. Feito por nós homens e daí?
Foto 02 - Arquivo pessoal

Nenhum comentário:

Postar um comentário