30 de janeiro de 2013

Quem está em estado de Emergência: Prefeitura ou o Povo de Esperantina?

Há muito tempo a terra de Leonardo das Dores carece de apoio. Há muito tempo está em estado de deterioração, de vergonha e emergência.
Cá para nós, o que é mesmo estado de Emergência?

Há dois tipos de estado: o de segurança nacional (sítio e defesa) e o de desastre natural (observação, alerta, calamidade pública e o de EMERGÊNCIA).

Recordando aqui os últimos desastres NATURAIS ocorridos na Terra do Rio Longá me lembro das enchentes e isso já faz alguns anos. Nada de ventania, furacões, tempestades, soterramento, apenas desastres políticos aconteceram recentemente.

Vocês sabiam que nossa cidade se encontra em estado de emergência? E sabe por quê? Porque, de acordo com o atual gestor municipal: 
* as instalações físicas de alguns órgãos públicos estão deteriorados;
* o desaparelhamento de certas secretarias;
* a frota de veículo do município está em péssimo estado de conservação;
* a paralisação dos serviços de limpeza pública acarreta perigo à sociedade;
* a precariedade dos serviços de informática e processamento de dados da rede municipal;
* atraso no pagamento dos servidores públicos;
* atraso no pagamento dos serviços de energia, água, esgoto e telefonia;
* as estradas se encontram acabadas;
* que no município não existem processos licitatórios;
* está inadimplente com vários órgãos públicos;

Pela descrição não vejo que seja necessário entrar em estado de emergência, até porque nos relatos acima nenhum se refere à questão natural.

Este estado de Emergência dar, ao gestor municipal, todo o poder de contratar, durante 90 dias a partir de 04 de Janeiro último, serviços e adquirir materiais necessários à execução dos atos de gestão administrativa essenciais, bem como o funcionamento dos serviços básicos (da saúde, da educação, etc) sem a necessidade do certame licitatório, ou seja, compra de quem quer, no valor qualquer, quanto e para onde quiser sem precisar prestar conta com "zé ninguém".

Até 31 de Março iremos ver o pessoal da limpeza vestidos de verde sem saber para onde corre o lixo. Até lá vamos ver tratores e caçambas subindo e descendo o lixo esperantinense. Vamos ver, mesmo estando à margem esquerda do rio Longá Advogados "trabalhando" e ganhando bem lá pela capital. Vamos sentir no bolso contratos feitos nas quitandas de esquina lá onde mora o progresso, do lado de lá. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário