27 de fevereiro de 2013

Multifuncionalidade do poder público esperantinense.

Para a melhoria do poder público municipal basta funcionar dentro da normalidade de suas obrigações.
A terra de Leonardo das Dores ganha, através do atual governo do PSDB, espaços para integração de alunos especiais.
O futuro nos espera e todos, e quando digo todos, inclui todos mesmo devem participar desse desenvolvimento intelectual sem discriminação de pessoas e regiões. 
Para se cuidar dos alunos especiais há uma necessidade de vasta gama de subsídios para tal fim. O planejamento deve ser um dos primeiros.
A atual gestão abre as portas para o desenvolvimento educacional. Esperamos que esta abertura continue nos próximo 3 anos e 10 meses e não apenas em início de deveres.
No entanto ficam os questionamentos: apenas duas salas são suficientes? A localização geográfica das salas foram baseadas em que dados e por último a funcionalidade das mesmas (salas) serão administradas de forma isolada ou integradas a ponto do Poder Executivo e Legislativo sugerir e interferirem quando quiserem ou mesmo puderem?

Que novas esperanças para um povo sofredor possam vim abrir novos horizontes.

Foto: portalriolonga.com

Um comentário:

  1. Quero agradecer ao nobre blogueiro e meu colega de luta nessa vida de transmitir o saber o espaço dado à matéria, levando assim essa informação aos nossos conterrâneos. E por isso tentarei responder alguns de seus questionamentos, falarei aqui algumas poucas palavras:
    Duas salas creio eu não sejam suficientes para tal atendimento já que o Município conta com pouco mais de 90 PCDs (cidade), em idade de frequentar o ensino regular e no contra turno as salas multifuncionais, no entanto alguns poderão precisar de auxilio somente de Psicólogo ou Fonoaudiólogo ou Psicopedagogo, ou Assistente Social... sem necessariamente precisar participar da sala multifuncional, creio eu que mais salas poderão ser implantadas, pois sei que é vontade tanto do atual Gestor e seu Secretário de Educação que esses alunos sejam realmente incluídos. Todos nós que estamos engajados nesse projeto esperamos que ele continue não só por 3 ou 10, ou 15 anos, mas que faça parte da pasta de trabalho da Secretaria de Educação, que outros gestores tenham essa garra pra continuar. Tudo referente a salas de AEE, como podem ser chamadas, está embasado no Ministério da Educação e esse projeto não foi feito de forma aleatória, mas com muito esforço, planejamento e também aprendizagem. Quanto ao funcionamento ele será como o de uma sala regular e seguirá todos o tramites necessários. Tenha certeza que será feito o melhor para o bom atendimento desses alunos,(zona rural e urbana). Dúvidas a mais procure a Coordenação de Educação Especial e certamente serão melhores esclarecidas, quem sabe não sejam as mesmas de alguns populares.
    Grata pelo espaço: Liliane Aragão, Especialista em Educação Especial e Libras e também professora de uma das salas multifuncionais.

    ResponderExcluir