7 de fevereiro de 2013

Pedido de um filho.

"Pai, NÃO ME ESTRAGUE, Sei perfeitamente que não devo ter tudo que quero. Estou apenas testando vocês" (Autor desconhecido).

É com pesar que descrevo para vocês um episódio muito comovente que me aconteceu ontem. 

Às quartas-feiras à noite tenho o costume de me reunir com os amigos para aquele futebol na esperança de perder alguns quilos. Ontem deixei minha Princesa Sophia (filha) juntamente com sua mamãe na casa da vovó paterna. E lá fui eu para o jogo semanal.
Quando lá estava preparando-me para entrar na quadra olho para o lado e vejo um colega apresando o juiz para dar início logo a partida, pois o mesmo queria jogar pelo menos uma partida para depois ir buscar seu filho na escolinha de futebol em outra quadra da cidade.
Quando este mesmo colega volta para jogar outras partidas de Futsal eis que fala:

"Ainda não terminou a escolinha e por isso voltei logo".

Continuou dizendo:

"Quando ia saindo meu filho me chamou e disse"
- Papai não vá, fique aqui vendo eu jogar.
Então eu disse de volta:
"Filho também eu vou jogar".

Quando este meu colega entrou em quadra, como de castigo por não atender ao pedido do filho, caiu e bateu fortemente a cabeça no chão a ponto de ficar segundos desacordado além de sangrar muito através de um pequeno corte na parte dorsal da cabeça.
Não voltou para buscar o filho, foi direto para o hospital fazer um curativo.

A frase inicial mostra muito bem que "nós" papais devemos educar nossos filhos com doses de amor, educação e exemplo. Nem sempre devemos apenas falar e ser atendidos, devemos sim ouvir e aprender sempre quando possível.

Fica aqui o aprendizado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário