25 de setembro de 2013

Velório da Educação de Batalha-PI.

Mais de cem anos de batalhas e a cidade de Batalha-PI continua a procurar 'gente' que faça da educação um beco para o desenvolvimento social.
É interessante que muitas das antigas cidades do Piauí a cada ano vêm evoluindo em todos os aspectos, mesmo que seja uma evolução mínima, mais sempre mostram indicadores satisfatórios a cada ano. Com a cidade de Batalha não.
Isso não acontece. A cidade está plenamente estagnada, parada, morta.
Com a Educação, mais especificamente falando, não é diferente.
Quase todos os municípios do Território dos Cocais, mesmo com a diminuição do FPM nos últimos meses, vem cumprindo com suas obrigações quanto ao pagamento dos servidores da Educação. Em Batalha não.
No início do ano quando a cidade era governada pelo atual Presidente da Câmara Municipal era possível pagar em dias os salários. Não se falava em diminuição de alunos da rede municipal muito menos a diminuição dos repasses federais quanto à esta evasão de alunos.
Depois que Teresinha Lages (atual gestora) juntamente com seu esposo assumiu a governança da cidade o 'bicho' começou a desandar. 
Mil desculpas foram e estão sendo dadas. Já chegou a dizer que o culpado disso tudo é o ex-gestor Amaro Melo. Paciência!
Motivados por esta absurda situação, servidores da educação do município fizeram um cortejo, em praça pública, para afirmar que e demonstrar ao povo em geral que a Educação de Batalha-PI está morta, desamparada e quase enterrada.
Se a educação está morta, a esperança na política, na vida social, cultural, econômica e financeira da cidade também está morta.
Restam-nos as lágrimas. Resta-nos o arrependimento do voto errado. Resta-nos o consolo. Resta-nos a solidão de um vazio desse Piauí de terras áridas, sofridas, antigas.

"Sou o que eu penso, para vocês, sou o que eu transmito".

À espera do Promotor de Justiça

Nenhum comentário:

Postar um comentário