22 de novembro de 2013

Saúde de uma criança medida por uma ampola

Foto: canalkids
A saúde brasileira está igual a imagem dos políticos partidários: baixa.

Os descasos da nossa saúde pública não irão acabar depois dessa crítica, mesmo assim queridos leitores, vocês ficarão sabendo da mais nova vergonha brasileira cometida, agora, contra uma criança no âmbito da saúde pública de nosso país, de nossa cidade.
A criança não pede para nascer. Após isso tem o direito à educação, saúde entre outros direitos dados pelo Estado.
Para evitar o pior muitas vacinas são dadas às crianças antes mesmo delas completarem um ano de idade. Outras só vêm depois dos 12 meses. Depois disso elas (vacinas) sempre nos acompanha pelo resto da vida.
Para nossa face adulta ou mesmo idosa ser menos dolorosa quanta à saúde, as vacinas devem ser tomadas em seus respectivos momentos, principalmente na face inicial de nossas vidas.
Certa criança esperantinense, recentemente, completou um ano de vida. A vacina própria lá estava em um dos 16 Postos de Saúde (equipes do Programa Saúde da Família - PSF) de nossa cidade como é divulgado pela Secretaria responsável. No entanto quando a criança foi levada para ser vacinada, não foi. Por quê? Por que mesmo senhor secretário? Por que esta criança não foi vacinada senhores leitores?

A criança não foi vacinada porque "não se pode abrir uma ampola para vacinar apenas uma criança, pois o restante do medicamento será desperdiçado". Esta foi a frase e consequentemente o motivo da criança não ter sido vacinada.

Não sou do contra, não sou opositor, não quero mal para minha cidade, para minha gente, para minha criança.
Os serviços públicos, Brasil afora, são muitos e não serão resolvidos da noite para o dia. Isso eu sei. Mas quem os faz? São pessoas, são funcionários públicos pagos para servir a comunidade e não para aumentar a dor de quem precisa amenizar sua duríssima vida através de atos burocráticos desnecessários.
Reconheço que pouco elogio os avanços de nossa saúde esperantinense. Também reconheço que em breve a criança será vacinada, mas até o momento, não foi.
Prefiro melhorar mostrando as falhas que me são sentidas.

"Sou o que eu penso, para vocês, sou o que eu transmito".

Nenhum comentário:

Postar um comentário