18 de dezembro de 2013

Desrespeito no Trânsito esperantinense.

Foto: otempo
Tem coisa que só acontece comigo.

Sabemos que o trânsito esperantinense é caótico e boa parte dessa situação a culpa é dos usuários dessas falhas vias públicas.

Não temos sinalização, guardas de trânsito, guarda municipal muito menos pessoas de bom senso que possam dirigir este caminho quase perdido.

Lá vai eu, sai do meio. Não importa se estou na minha mão ou fora da minha preferência. O importante aqui é acelerar e chegar ao destino final "mesmo que não seja para fazer nada" (Sinefide). É desta forma que muitos pensam quando estão no trânsito de Esperantina.

Ainda pouco estava em direção à casa de meus pais, ao lado das 'minhas' filhas quando preciso dobrar em um retorno da principal Avenida de nossa cidade. De imediato tomo meu lado, minha mão. Aí vem uma desinformada, que acredito não ter carteira de habilitação ou pelo menos demonstrou isso, e toma meu lado, minha preferência impedindo que eu siga meu trajeto, meu direito de ir e vim. Até aqui tudo bem. O problema é que esta mesma jovem, toda poderosa do Morro do Chapéu, abaixa o vidro e fica a reclamar com quem estava certo, eu. Quanta falta de bom senso e educação. Imagine se não fosse uma Coordenadora Pedagógica?

Enxerga-te e principalmente enxergue os outros.

Tenho dito que em nossa cidade o ERRO está tão enraizado que fazer o CERTO se torna errado, feio.

"Sou o que eu penso, para vocês, sou o que eu transmito".

Nenhum comentário:

Postar um comentário