5 de fevereiro de 2014

Em terra sem comando, invasão constante.

Foto: arquivo pessoal
Um dia a 'terra' foi motivo para guerra. Manobras políticas e econômicas foram montadas para expandir o poderio de muitas nações, isso tudo em tempo remotos, através de alocação de terras. Terras sempre foram sinônimos de riqueza e poder.
Nem mesmo o sal, o ouro, o dólar não tiraram das terras seu verdadeiro valor. No entanto em uma democracia romana e até mesmo egípcia se fazia necessário a construção de leis/normas para os oprimidos não tomarem à força, ou seja, invadindo-as, da então burguesia latifundiária. 

De lá para cá só houve o aumento de concentração de terras ao mesmo tempo o aumento de uma legislação e administração de terras voltadas para poucos. Com isso aqueles que não têm terras vivem a procurar uma forma de obter-las. Trabalhando forte para conseguir um dinheiro para comprar-las ou invadindo-as.

Para quem tem terras apenas nas unhas é obvio que o menor caminho para obter-las é usando da má fé contra a burguesia capitalista. E isso acontece com mais frequência quando o espaço (território - lugar) está desprovido de comando, de normas, de administração.

E hoje em um dos mais novos Bairros de Esperantina, mais precisamente no Bairro Bernardo Rêgo, infelizmente, está acontecendo. As quase insignificantes invasões de terras estão acontecendo. O registro fotográfico demonstra isso. 

Em tempos modernos, onde já existem várias leis de boa moradia entre elas o Estatuto das cidades, não é admissível que ainda tenham pessoas vivendo dessa forma, principalmente em nossa querida, esquecida, doente, maltratada, quase falida cidade.  Alô assessores especiais, secretário de administração e de obras de nossa cidade está na hora de mostrarem mais serviço.

 "Sou o que eu penso, para vocês, sou o que eu transmito"

Nenhum comentário:

Postar um comentário