15 de março de 2014

Abuso de Poder na Limpeza Pública de Esperantina

Não vejo de outra forma para definir o que presenciei ontem à tarde no Bairro Morro da Chapadinha como Abuso de poder.
Governar sozinho não existe, não é possível. 
Antes o Deputado Júlio César, depois o Senador W. Dias, agora os Deputados de Esperantina deram e estão dando seus palpites em que fazer por e pela nossa cidade.

De quem é mesmo a empresa responsável pela limpeza pública de Esperantina? Quanto está recebendo mensalmente para tanto?

O Gestor municipal atual não faz apenas o que quer. Não tem mão de ferro muito menos braço. Pelo jeito só está fazendo as vontades dos outros. Até que o alertei antes mesmo de vencer as eleições.

Não muito distante, a limpeza pública de muitas cidades pequenas do Brasil era baseada apena em pás, enxadas e de vez em quando facões sem falar na presença indiscutível do ser humano para retirar a capina das ruas. A tecnologia chegou e com ela as facilidades para um ambiente mais limpo.
Refiro-me às roçadeiras. Prática, volátil, potente, no entanto com limitações. Estes equipamentos são destinados para aparar o mato baixo e fino ou mesmo cortar a grama. 

Durante o verão as ruas de Esperantina são tomadas pelos matos. As águas das chuvas contribuem para isso. Fica quase impossível fazer a limpeza geral da cidade. Mas é possível. O homem pode superar estas dificuldades.

Neste caso específico jamais Esperantina sairá do mato muito menos o mato sairá de nossa cidade. Enquanto muitas ruas principais da Terra do Longá estão tomadas pelo mato o Secretário de Obras destina homens para fazer a capina em terreno na porta da casa dos 'Deputados' onde o mato já deveria ser rebaixo com foices devido está muito grande. O local que não tem serventia nenhuma para a comunidade se não para os próprios deputados está recebendo a limpeza enquanto ruas do centro da cidade estão quase intrafegáveis de tanto mato. O referido local também fica na frente do Diretório do PMDB e de muitas outras residências da família Sampaio incluindo a Rádio Morro da Chapadinha e a atual Secretaria de Obras.

Não sou contra a limpeza de qualquer lugar específico da cidade. Sou contra fazer a limpeza de lugares menos importantes antes de lugares mais estratégicos da cidade. Sou contra fazer primeiro os favores de quem não precisa invés de fazer de quem está necessitando. Sou contra abuso de poder, apesar de saber que isso sempre existiu e há de sempre existir. Estas políticas centralizadas não fazem bem a nenhum governo, imagine à sociedade. Devemos dar um basta a estas políticas públicas retóricas. 

"Na vida nada é tudo, tudo é pouco e pouco é nada, portanto, vivemos em um ciclo vicioso".


Fotos: arquivo pessoal

Um comentário:

  1. Nada contra sua matéria mas eu sei o motivo da limpeza deste local. É que aí será realizado atividades do Mais Educação da escola Vila da Solidariedade!

    ResponderExcluir