7 de maio de 2014

Sem palavras.

E quais são as palavras que nunca são ditas? Esta verdadeira frase de certo roqueiro candango, playboy metido a rico não deixa limitada a vida de nenhuma jornalista, escritor ou mesmo blogueiro como eu no que diz respeito ao que falar, escrever, criticar. 
Não deixa por conta de inúmeros acontecimentos ao redor do mundo meio-técnico-científico cheio de globalização e péssimas atitudes humanas.

Foto: maniadesentir
Uma vez, não muito distante do dia atual, um colega das antigas querendo 'ficar' com uma mina chamou a gata para um passeio. Certo momento decidiram parar no banco da praça para conversarem. Os dois sendo muito jovens, inexperientes no mundo a dois, ficaram calados, meio sem o que dizer. De repente, do nada,  este meu colega resolveu disparar para a mina a bendita frase da época: 'olha a faca' para quebrar o gelo e o quase eterno silêncio entre os dois.   

Em outro momento um amigo e ex-blogueiro chegou pra mim e perguntou: "Macelino não cansa de escrever no Blog? Pergunto assim porque eu já cansei de atualizar o meu, fica um 'negócio' sem o que dizer, sem o que falar, sem falar que têm que ser todos os dias para não perder acessos".

Agora recentemente veio uma pergunta totalmente obvia: Professor você ainda não foi comprado para falar o que o governo municipal quer? 
A resposta foi direta e clara: este negócio de blog é Robby por obrigação.
No mundo geográfico jamais deixará de existir assunto, palavras, verdades e dúvidas a serem ditas, escritas, confrontadas.

Para piorar a situação de momento, um colega de profissão iludido pela poder que tem nas mãos neste momento disparou: sem assunto.

Estou mesmo sem assunto. Estou sem palavras pra tudo isso. Vou além, não me dão bons assuntos para debater. Ao tempo que estou sem tempo para opinar sobre os fatos, e são muitos os fatos, que me rodeia me cai um descontentamento sobre os atuais episódios: morte de mulher, eleição sem esperança, copa do mundo sem legados, ministros com diárias, durante a copa, de mais de um mil reais, concursados sendo demitidos sem uma devida avaliação de desempenho, omissão de vereadores junto aos poderes executivos, salto altos de quem não sabe andar nem mesmo descalços, Petrobras afundada em escândalos, DENTRAN atrasando, novamente, seus salários por está próximo a mais uma eleição, presidentes de assembleias podendo não ser candidatos devido as prestações de conta, inúmeros concursos, municipais, estaduais e federais, a serem feitos, a seca do rio Parnaíba, o desgelo do Ártico, a crise na Europa, estradas intrafegáveis, processos administrativos contra professores de oposição em Batalha, enquanto professores com 80 hs e disponibilidade de tempo são processados existem outros professores, da panelinha dos gestores, que tem 80 e até mesmo 100 hs e não são processados, secretários recebendo o dobro dos demais só por ser parente da gestora, micareta feita pelo Marden, mortes em estradas devido os buracos não tapados pelos deputados tapados pelo poder, empresários sulinos querendo ganhar a vida por aqui com a ajuda do MORRO, mês das mães, mês de cassações, véspera de festa junina feita em Julho sem apoio público junto as tradicionais quadrilhas também juninas, professores enfiando a faca nas costas de quem realmente trabalha, avenida sem tratamento, rua sem limpeza, licitação sem pregão, amor sem vida e colega sem saber o que falar para defender seu patrão.

Para terminar minha fase sem palavras vou finalizar a frase do roqueiro Renato Russo: sei que uso palavras repetidas, da mesma forma que estão repetindo a governabilidade em comparação as demais que já se passaram.

"Sou o que eu penso, para vocês, sou o que eu transmito"

Nenhum comentário:

Postar um comentário