18 de julho de 2014

Esperantina em baixa produtividade.

Vocês sabiam que a produtividade não depende apenas do empenho e capacidade do trabalhador?
Pois é, somente estes dois fatores - empenho e capacidade - não são suficientes para o desenvolvimento econômico e posteriormente social de um lugar qualquer.

O Brasil passa por isso neste momento atual. Nos últimos anos as empresas brasileiras têm aumentado sua produção contratando mais pessoas. O desemprego diminuiu. Mesmo assim, pela primeira vez na história do Brasil, está faltando mão de obra, mas qualificada. Emprego tem até demais.
Sendo assim a necessidade de qualificar os já empregados aumenta. As empresas não podem se dar o luxo de demitir empregados, mais é urgente a necessidade de preparar-los quanto ao aumento de sua produtividade diária, mensal e anual.

Esperantina nos últimos anos tem diminuindo, gradativamente, sua força de produção. 
Não temos nenhum grande projeto agropecuário, mesmo com tanta abundância de recurso hídrico e humano.
Temos perdido jovens (classe que muito produz) pela falta de qualificação da nossa educação. Os mesmos procuram os centros onde tem frente de trabalho.
Indústria por aqui pode até ser comparada a um crime. Instalar indústria em nossa cidade parece ser impedido.

Para enterrar de vez, o setor público parou também.
Agora mesmo com a costumeira cassação de gestor municipal de nossa cidade, mais uma vez presenciamos uma enorme baixa de produtividade do setor público municipal. 
Secretários, comissionados e muitos concursados, sem saber o futuro político do município, diminuíram suas produtividades nos últimos dias. Podemos cifrar que muitos desses já não trabalhavam há muito tempo, só recebia seus proventos no fim do mês.
A cidade está praticamente parada deste o dia 15/06 quando saiu a sentença de cassação.

A educação já está parada por conta do período de férias, os vereadores estão de recesso (pouca diferença de quando vão UMA única vez ao mês à Câmara), os deputados há muito tempo também estão de recesso, até ontem a limpeza pública também estava parada, a iluminação nem se fala. Boa parte dos jovens estudantes adora está parados sem fazer nada de interessante. E assim vivemos. Espero que os bandidos e assaltantes também estejam, para os parados policiais continuarem como estão.

Só falta eu parar de mostrar o outro lado da moeda esperantinense com minhas singelas pinceladas geográficas para alguns, que não me ver com bons olhos, também pare de me confundir com político partidário.

Viva a paralisação da máquina administrativa. A cidade agradece por esta morte inevitável de um povo que vive de políticas partidárias baratas. 

Foto: demoiselle.soureceforg.net

Nenhum comentário:

Postar um comentário