21 de agosto de 2014

""Prefeito"" Antonio Lages não quer pagar Piso Salarial aos professores.

"A questão da garantia de uma educação pública, gratuita e de qualidade continua sendo um problema em todo o Brasil. Altos índices de analfabetismo e evasão, e, escolas sem a mínima estrutura para receber as crianças, são reflexos desse sistema que parece não funcionar em perfeita condição. Nesse cenário também se encontram os professores, que sem condição de trabalho e valorização profissional penam para garantir uma educação de qualidade aos alunos". (jornaldacidade).
Batalha não foge a regra.

O esposo da gestora Teresinha Lages não quer reconhecer os direitos dos professores e demais funcionários que trabalham na educação do município carinhosamente chamado de 'terra do jatobá'.

O piso nacional dos professores é uma Lei, Lei Federal. Mas parece que o município de Batalha não faz parte do território brasileiro. Até parece que tem leis própria de uma nação.

O esposo da atual gestora enviou à Câmara Municipal de Batalha uma proposta (projeto) de Piso beneficiando apenas os profissionais Classe "A", enquanto os das Classe "B" e "C" ficaram de foram desse direito. Lembrando que este piso deveria ser pago desde o início do desse ano com reajuste de no mínimo 8%.

Isso é um retrocesso. É uma vergonha.

Caso o projeto seja aprovado pelos vereados na sessão de amanhã (22/08/14) os profissionais classe "A" terão um reajuste em seus salários, a partir desse mês, de 20% com direito a retroativos em relação aos meses de Janeiro à Julho.
E os profissionais classe "B" e "C" como ficarão? Não merece este direito?

Na proposta o senhor Antonio Lages quer dar apenas 11% de reajuste, tirando-nos 9% que, de acordo com o Sindicato da categoria, é nosso direito por lei e muito incentiva os professores a continuarem a desempenhar um belo trabalho em sala de aula.
Caso o reajuste não seja dado para todos que fazem parte da educação daquele município, terá profissional perdendo até R$ 200,00 mês para o resto da vida.

Não quero acreditar que vereadores que são professores por formação e profissão irão votar nesta pouca vergonha chamado de projeto do piso salarial. Não quero acreditar que o vereador "Amaral", que tem uma profissional da educação dentro de casa, aceite esta atitude de desconhecimento das lutas dos professores e demais profissionais da educação desse município.

Todos os profissionais da educação do município de Batalha estão convocados para uma assembleia que irá acontecer a manhã, a partir das 16:30 hs, nas dependências do Sindicato da Categoria para de lá ir em direção à Câmara Municipal para acompanharem todos as atitudes dos vereadores quanto a este projeto vergonhoso do ""prefeito"" e todo poderoso de Batalha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário