28 de novembro de 2014

Dona Vilma administra às escuras.

Cais da Cidade de Esperantina
Tenho o direito de falar da mesma forma que tenho o direito de ir e vim. Eu erro, acerto e você também.
No momento estou sendo obrigado a fazer caminhadas para uma vida mais saudável.
Meu médico, e não doutor, recomendou fazer 20 minutos de caminhada. Não pelo motivo de preservar meu bem móvel em relação aos buracos de nosso trânsito. Recomendou as caminhadas para melhorar meus batimentos cardíacos. 
Infelizmente "se eu correr o bicho pega e se parar o bicho come". O que fazer? 

Caso eu saia de casa com meu bem móvel terei dificuldade pelo caótico trânsito que existe em nossa cidade.
Se eu escolher fazer minha caminhada, a dificuldade será quase a mesma.

Só posso fazer minhas obrigatórias caminhadas na parte noturna. E é aqui que começa meus transtornos.

Apesar de que as instalações do Cais ainda não estão totalmente finalizadas, mas no momento é o melhor lugar para se fazer caminhadas em nossa cidade.
Graças a omissão do poder público, estas caminhadas, no momento, só podem ser feitas à luz do sol, portanto não poderei fazer minhas caminhadas e consequentemente morrerei.
A partir das dezoito horas, quando meu amigo Sol vai embora, fica quase impossível fazer caminhada em Esperantina.
Por que? Porque a escuridão não deixa.
Além de não sabermos onde estamos pisando, ainda existe o perigo da violência, dos assaltos.

Há mais de dois meses frente ao governo municipal, Dona Vilma parece que gosta de governar às escuras.
Nem a excelentíssima gestora muito menos a população está conseguindo enxergar progresso na terra de Leonardo das Dores.
Será mesmo que não tenho o direito de viver fazendo caminhadas e usufruindo do meu bem móvel?

Dá licença e deixa eu passar, seja a pé ou atrepado no meu "fura bolo".

"Sou o que eu penso, para vocês, sou o que eu transmito" 


Nenhum comentário:

Postar um comentário