27 de janeiro de 2015

Caixa Econômica, agência de Esperantina, dar "chá de espera" a seus clientes

Saudações geográficas!

Não é cultura brasileira ter o costume de toma chá todos os dias. O café, por aqui, reina com mais desenvoltura. Isso é explicado pelo incentivo do governo federal ao cultivo do café como atividade econômica em um passado não muito distante.
Caso tivéssemos sidos colonizados pelos ingleses o café não seria nossa alimentação matinal de todos os dias como regra geral.

No entanto, de uns tempo para cá, a sociedade brasileira tem incluindo o chá em sua rotina diária como alimento para uma qualidade de vida mais avançada.

Falar em chá, as instituições financeiras brasileiras são especialistas em oferecer em este líquido aos seus clientes.

Quando o assunto é dinheiro devemos ter calma/paciência para resolver qualquer problema relacionado à tal.


E nisso, as instituições sabe por onde começar: oferecendo um belo chá. Infelizmente este chá é o " chá de espera". Vocês conhecem este tipo de chá? Provavelmente vocês já tenham apreciado este tipo de chá.

Pois é, hoje pela manhã fui agraciado, durante 120 minutos (DUAS HORAS), com este tipo de chá. Vê se pode um negócio desse. E porque estou querendo me tonar um cliente dessa instituição. Imaginem só se fosse o contrário, ou seja, se eu estivesse migrando para outro banco.

Deuzulive!

Pois bem. 
"A espera excessiva em filas de bancos é uma situação vivenciada corriqueiramente por muitas pessoas, mas nem todos os que encaram o problema na vida prática entendem como ele é regulamentado no Brasil. O tempo limite de aguardo, por exemplo, não está previsto em apenas uma "Lei da Fila de Banco". O poder de legislar sobre o assunto é de responsabilidade das esferas estaduais e municipais, e cada localidade o trata de acordo com as próprias peculiaridades. Não há um tempo exato de espera em filas de atendimento de estabelecimentos bancários, como 15, 20 ou 40 minutos. A precisão temporal varia de um lugar para o outro, com ênfase nas características de determinada cidade ou estado. Um município do interior, por exemplo, geralmente leva em consideração a circulação de pessoas em dias de feira livre, o que não é necessário ser pensado em capitais" afirma o advogado Marcelo Pimenta Cavalcanti, integrante do escritório Jairo e George Melo Advogados Associados.  

Diante dos descumprimento dos dispositivos legais supracitados, caberá ao consumidor denunciar aos órgãos administrativos reguladores das relações financeiras (BACEM) e de consumidor (PROCON), além, é claro, de poder entrar em contato com a Ouvidoria Geral de cada instituição bancária.

Acho que amanhã serei novamente convidado a tomar mais um chá de espera, até porque tenho que resolver um pequeno e necessário empecilho financeiro. Pelo menos eu gosto de chá, não como este é claro.

Não estou pedindo esmola, estou apenas pedindo que os direitos e deveres de todos sejam concretizados para o bem está da 'coletividade'. 

"Na vida nada é tudo, tudo é pouco e pouco é nada, portanto, vivemos em um ciclo vicioso".

Fto - portalesp.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário