21 de janeiro de 2015

Gestora Municipal desvia a verdade em emissora de TV

É de costume dos gestores municipais se desviarem da verdade para iludir o povo.
São seres humanos carregados de manobras, de mentiras, de segundas intenções.
Tem quem fale que os gestores municipais não sobrevivem contanto apenas verdades.
Sendo assim, a maior parte da população já não acredita mais, em uma só palavra, nesses gestores.
Para alcançarem vitória durante as eleições fazem promessas (mentirosas).
Depois de eleitos continuam a desviar da verdade para permanecerem no cargo.
E quando deixam o cargo, pois não é para sempre, continuam a desviar a verdade afirmando que o seu sucessor, ou mesmo antecessor, que é o culpado da péssima situação em que se encontra o município.

Foto 01: Teresinha Lages
A gestora municipal da cidade de Batalha, 154 km da capital, Teresinha Lages foi entrevistada pela TV Clube e a mesma aproveitou para desviar todas as verdades da qual esta cidade está passando.
A emissora mostrou a péssima condição da saúde do município no que se refere à alguns postos de saúde.
Não tem expediente normal, não tem medicamentos para a população, etc.

A TV Clube mostrou também os gastos orbitantes que a prefeitura vem fazendo com o aluguel de um terreno para servir como garagem para carros oficiais do município. Foi noticiado que no mês de Abril do ano passado a prefeitura gastou, com o aluguel, cerca de R$ 42 mil reais, enquanto nos demais meses a média de gasto ficou na casa de R$ 2,5 mil.

Aproveitando a presença da emissora a nível estadual em terra batalhense, o sindicato dos servidores públicos, SINDSERM Batalha, aproveitou para mostrar a realidade da educação do município.
A TV Clube mostrou para todo o estado do Piauí o que Teresinha Lages, esposo e filho estão fazendo com a educação do município.
Redução de carga horária dos vigias, não pagamento do PISAN 2014, abertura de processos administrativos para demitir funcionários efetivos e diminuir a carga horária de tantos outros.

Teresinha Lages ao falar com o repórter chegou a dizer que não é admissível que um professor de 120 horas semanais possa trabalhar corretamente.

O que nos chama a atenção, senhores e senhoras, é que professores com 40 horas semanais hoje respondem por processos administrativos para reduzir a carga horária, enquanto professores com 80,100 horas semanais não estão respondendo a estes mesmos processos. Por quê?

Então senhora gestora Teresinha Lages, que tanto prime pela Lei, alguns professores da rede municipal de ensino podem trabalhar, corretamente, com 80,100 horas e outros professores não podem?

Tem professores que são intocáveis no município de Batalha. A blindagem se dar através da politicagem.
Enquanto tantos outros tentam se defender e apegar com as leis divinas, pois as 'leis' batalhenses servem apenas para fazer as vontades e caprichos de quem está no poder mundano.

"Na vida nada é tudo, tudo é pouco e pouco é nada, portanto vivemos em um ciclo vicioso".





Fto 01 - longah

Nenhum comentário:

Postar um comentário