30 de janeiro de 2015

Secretaria de Educação nega direito de professores

Foto 01
Cada município tem suas normas, as chamadas Leis Orgânicas. Se elas são efetivas ou não, depende muito dos poderes executivos, legislativos e judiciário e da sociedade organizada.

Dentre esta lei orgânica existem também os planos de cargo e carreira de cada secretaria.
Por sua vez, as secretarias de educação formulam suas normas para melhor incentivar seus funcionários em prol da comunidade escolar. Pelo menos deveria ser assim.

No entanto, como estamos no Brasil, as coisas não funcionam bem assim.
Quanto menor é o município, maiores são os interesses próprios, sejam dos secretários sejam dos gestores municipais, que dificultam o funcionamento adequado das secretarias de educação.
Em todos os planos de cargos e carreira das secretarias de educação existem um DIREITO chamado de LICENÇA PRÊMIO.

O que é:
É o benefício estatutário que o servidor faz jus a três meses de Licença a cada cinco anos de efetivo exercício. O servidor terá direito à licença prêmio de 3 meses em cada período de 5 anos de exercício efetivo e ininterrupto, sem prejuízo da remuneração.

Como diz o texto acima, o servidor, de uma forma em geral, tem o DIREITO de se afastar de suas obrigações.

Infelizmente a Secretaria de Educação de São João do Arraial, terra do deputado Lima, tem negado este 'direito' a professores.

Foto 02
É lamentável ver que os direitos dos sofridos servidores são utilizados como sendo caprichos dos seus superiores.
Não sei se isso acontece no Morro do Chapéu, em Luzilândia, Joaquim Pires, Batalha ou mesmo aqui em Esperantina.
Para falar a verdade, acho que isso acontece em todo lugar, toda cidade. 
Em forma de perseguição, os que estão no poder não dão este direito à pessoas/servidores que formam a oposição. Mesmice de politicagem baixa e vergonhosa que muito atrasa a democracia de direito bem como o devido funcionamento da estrutura sistêmica da educação brasileira. 

Sabemos que a secretária de educação de São João do Arraial só assina Licença Prêmio à quem lhe interessa e não a quem tem o direito. O ano letivo de 2015 desse município já começa com nota vermelhar (0,0). E pelo jeito, há muitos anos praticada esta atitude, não será aprovada no fim do ano. Continuando assim na mesma séria/ano - analfabeta no 5º ano - para tristeza geral. 

Pelo menos um abastado da cidade conseguiu se formar a ponto de se tornar representante do povo piauiense. Quanta desigualdade.

"Na vida nada é tudo , tudo é pouco e pouco é nada, portanto, vivemos em um ciclo vicioso".

Fto 01 - claudeko-claudeko
Fto 02 - mazelasdojudiciario

Nenhum comentário:

Postar um comentário