16 de março de 2015

Indignado

Não é de estranhar o comportamento dos jovens nos dias atuais.
Muito se fala em educação familiar, religiosa, cultural de pai para filho.
Fala-se ainda mais em comportamento espelhados em atitudes corretas dos mais velhos.

Dando continuidade às informações repassadas entre os humanos de hoje não podemos esquecer que é noticiado, dia após dia, como são brandas as leis de nosso país para quem não as obedecem.

Essa falta de obediência e principalmente a omissão de punição por tal desobediência cria uma mudança de valores sem precedentes. 
Os jovens, não bem acompanhados, são os mais vulneráveis. 

Antes o correto era fazer o certo.

Não muito distante dessa época era assim que se comportava a sociedade.
Mesmo assim ainda existiam os erros e os errados ou vice-versa, como queiram.

O tempo foi passando. A sociedade se comporta de outra forma. E não poderia ser diferente, pois as técnicas, a ciência, a religião, a política são outras. A sociedade também é outra. O tempo é outro. O espaço, idem.

Mas isso não quer dizer que o correto de hoje é fazer o errado.
Nada disso!

Por outro lado não fugimos desse comportamento. Infelizmente.

Neste sábado (14/03) provei disso.
De acordo com a Lei Federal do Trânsito, quem está dentro da rotatória (balão) tem o direito de seguir viagem, sem obrigação de parar.

Estava eu exercendo o meu direito de ir e vim, com a Carteira de Habilitação no bolso, na rotatória (balão) da Avenida São José.

Foi quando um 'ultrajovem' menor de idade, guiando uma motocicleta, mesmo vendo um carro parado na faixa obrigatória de PARAR não deu nenhuma atenção, ou seja, não parou e seguiu viagem atropelando meu direito.

Diminui a velocidade para não atropelá-lo e aproveite para chamá-lo a atenção através de uma 'buzinada'.

Foi quando fiquei indignado com tamanho desrespeito. O 'ultrajovem' fez um gesto em minha direção igual à da imagem à cima.

Pode um negócio desse? Só porque estava fazendo o que é correto.
Quantas mortes serão necessárias para o correto ser considerado certo?

"Na vida nada é tudo, tudo é pouco e pouco é nada, portanto vivemos em um ciclo vicioso"

Fto - diariodeumranzinza

Um comentário:

  1. Sou jovem, e Deus, me deu pessoas para me dar um pouco de educação nesta jornada aqui pela a terra.
    Vejo as imprudências, que os jovens de minha idade comentem, infelizmente isso esta virando rotina. Alta velocidade, empinando roda, entres outras diversas façanhas. A cada dia esta difícil encontrar um jovem que não queira ser o tal, o bonzão de moto.
    Exemplos disso não falta. Recentemente faleceu um jovem de 13 anos de idade. A mãe se pronuncia diante de publico pedindo justiça. Justiça? menor de idade manobrando uma motocicleta, o que aconteceu, foi que uma mãe dessa não deveria permitir que seu filho manobrasse uma motocicleta.
    O jovem bateu na traseira de uma carreta. "A mas o carreta estava mal estacionada, com problemas mecânico". Sinto muito o erro maior foi da própria mãe. E que Deus tenha este jovem.
    Nossa cidade, Esperantina, precisa de muita transformações. Os Gestores de nossa cidade deveria investir mais, em vez, de ficar disputando a poltrona da Prefeitura.

    ResponderExcluir