12 de março de 2015

Nossa Esperantina é muita feia.

Praça da Pedreira sendo revitalizada
"Passei por Esperantina e pensava que ela era mais bonita. Para uma cidade tão falada, Esperantina é muita feia".

Sempre ouço este discurso dos colegas que não são daqui.
Aos que mora ou são de nossa cidade, o discurso é o mesmo quanto à estética urbana de Esperantina.

Há 17 anos nossa cidade estagnou em sua aparência física. Nenhum gestor ou empresário deste então fizeram por Esperantina o que ela merece quanto aos cuidados estéticos de sua aparência.


O planejamento sobre o espaço urbano começou a ser feito no século dezenove.
Os franceses e ingleses, nações recentemente industrializadas no período, foram os primeiros a se preocuparem com a questão social e ambiental nos perímetros urbanos.

As intenções eram muitas. Entre elas organizar as desigualdades sociais e de higiene. De lá para cara o poder público tem dado ênfase no que ser refere à organização espacial humana e natural dentro das cidades.

Cada vez mais as políticas públicas têm sido feitas, ao redor do mundo, para valorizar ainda mais os patrimônios históricos, sociais, culturais e ambientais que fazem parte do espaço urbanizado.
Com isso sugiram os planos diretores urbanos, e aqui podemos citar o Estatuto das Cidades, pelo motivo da demanda de caráter socioambiental que os espaços urbanos tinham e continuam a ter.

Surge então o conceito de Revitalização Urbana, muito utilizada hoje. Esta revitalização pode se dar através da parceria entre o setor público e privado ou somente por uma das partes.
Tem como finalidade intervir no desenvolvimento urbanístico e/ou arquitetônico em áreas degradadas sem falar em projetos capazes de promover a recuperação econômica e social de espaços tidos como degradados.

Eis que agora, ano de 2015, constatamos algumas políticas públicas municipais em prol da revitalização de nossas Praças Públicas.
As principais praças públicas da cidade já podem ser vistas com uma cara nova. 
Citamos como exemplos a Praça Lages Rebelo (atrás da Igreja Matriz), a Praça da 'Pedreira' (no Cais) e a Praça do Cemitério Central (a qual vai receber o nome de Rejane Castelo Branco) que estão ou já passaram por uma revitalização deixando assim a cidade menos feia.
Outras praças estão sendo vistas pelo poder público quanto à limpeza diária e podas necessárias. Infelizmente a Praça Bento Rego se encontra às escuras. Nem tudo é perfeito, não é mesmo?

São ações pequenas, necessárias e grande valor social e ambiental. No entanto, só isto não basta. É necessário revitalizar-las com a devida iluminação, limpeza., etc. Também se faz obrigatório a revitalização da Praça da Biblioteca, do próprio Teatro, dos buracos de nossas ruas entre outras ações de estética urbana.

O trabalho é árduo, nós já sabemos. Os recursos são muitos, também já sabemos da mesma forma que sabemos que Esperantina, por completa, precisa ser revitalizada para o bem está de sua gente, independente de quem esteja no comando.

Que estes trabalhos continuem.

"Na vida nada é tudo, tudo é pouco e pouco é nada, portanto, vivemos em um ciclo vicioso".  
A mesma Praça
A mesma Praça

Nenhum comentário:

Postar um comentário