21 de abril de 2015

Só Tiradentes na política atual.

Quando se fala em política, seja ela social e principalmente partidária, o esperantinense vai à loucura.
É o que dar mais audiência nos sites, blogs, esquinas e nas duas únicas rádios da cidade.

Para este feriado nacional, onde se lembra de certo homem que lutou contra os poderosos quanto ao massacre tributário (impostos abusivos de nosso país) posto à nossa gente, só uma péssima notícia dos nossos governantes para não mudar 'nada' no que diz respeito às altas taxas de impostos aplicados pelo Brasil para com nosso povo e principalmente, e vergonhosamente, o errado direcionamento dessa verba arrecadada pela 'política atual'.
Dilma, juntamente com todo o Congresso Nacional ('nossos' Senadores e Deputados Federais), aprovou neste dia 20 de Abril a Lei Orçamentária Anual para 2015 (o que será gasto pelo governo federal este ano).

Em um país onde se produz e arrecada muito deveríamos ter políticas públicas mais eficientes. Deveríamos ter serviços com qualidade de sobra frente aos países ditos como desenvolvidos.
Deveríamos obrigar o 'rico' pagar mais impostos do que os 'pobres'. Isso mesmo. No Brasil é assim: quanto mais ganha, menos gasta com impostos. Para mim isso não passa de estagnação política e econômica.

É muito dinheiro para ser desviado, concentrado em poucas mãos.
E pouca verba nas mãos de quem necessita, de verdade, apenas ter o que comer, mesmo sem escolhas de pratos.

A presidente (do PT) apoiada por todos os demais políticos partidários do congresso (de todos os demais partidos) direcionou, da Lei Orçamentária Anual, mais 850 milhões de reais para os PARTIDOS gastarem este ano com suas formas de governar.

Quando falo que não defendo partidos e sim pessoas, dizem que sou defensor da estrela vermelha, como se eu não tivesse uma cabecinha de sangue (criança) para criar, mesmo pagando impostos.

Digam-me quem não quer entrar para a política partidária com este orçamento anual? Digam-me quem não vende a alma para o diabo em troca do poder política em nosso país?
Além dessa imaginária verba para os partidos, os políticos partidários terão, individualmente, 12 milhões em emendas parlamentares para 'investirem' em seus respectivos 'estados'. Talvez o 'investimento' será feito em seus 'estados' familiares. Entenderam-me?

Quando lá atrás certo homem se posicionou contra esta aberração política dos impostos aplicados, principalmente aos pobres, o que aconteceu?

Aconteceu que Tiradentes foi condenado, morto e esquartejado. 

A quem apenas reclamou aconteceu isso imagina o que deveria acontecer a quem cobra impostos altíssimos e consequentemente desvia tal verba social. 

Só mesmo Tiradentes nesta causa falida.

"Na vida nada é tudo, tudo é pouco e pouco é nada, portanto, vivemos em um ciclo vicioso".

Fto- gluck.project

Nenhum comentário:

Postar um comentário