13 de maio de 2015

A Batalha por uma Educação melhor

Conhecem este casal aí da foto?
Pois é pessoal.
Hoje eles manda e desmanda na política partidária da cidade de Batalha.

Seus Secretários, como muitos pelo Brasil a fora, apenas balança a cabeça em obediência a tudo que os poderosos do Executivo mandam.

Na pasta da Educação a coisa está pior.
A atual secretária é uma professora efetiva da rede municipal. Passa quatro anos comendo o que o diabo amassa e mais quatro anos no salto alto. Geograficamente falando, o mundo não para de girar, não é mesmo?
Vocês sabiam que tem professores da rede municipal de Batalha sem receber reajuste salarial há dois anos? 
Pior do que tudo isso é ter que ouvi-los dizer (em rádios e nos quatro cantos do município) que estão pagando o Piso Salarial a todos os professores da rede municipal de Batalha.

Esta é uma tabela que mostra a perda financeira de professores Classe "C".
Como podem observar as receitas do FUNDEB sempre vem aumentando ano após ano. Já os vencimentos dos profissionais nada muda.

Tem professores deixando de receber mais de duzentos reais por mês por conta desse abuso político.

O Ministério Público, onde muitos dizem que deve ser 'acionado' para agir, nada faz contra este casal de gestores municipais que a cada dia desrespeita a Lei (federal e orgânica) e nem por isso são punidos por conduta errônea contra o patrimônio humano local.

Ao contrário, se algum professor passar por crítico e faltar um dia de aula logo é descontado de seu salário e amedrontado quanto a um Processo Administrativo por deixar de cumprir com suas obrigações.

Então somente os professores têm obrigações? A gestora, o primeiro-damo, a secretária de educação não tem obrigações? Onde se vive escravidão nos dias atuais?

Hoje, 13 de Maio, se comemora o fim da escravidão, pelo menos na forma oficial em que viveu o Brasil.

Outra. Quando questionados sobre estas condutas contra o pleno direito do professor, a boca desses governantes é: A Lei manda isso, a Lei permite isso, a Lei não permite aquilo, O Ministério Público sugere aquilo, etc, etc,.

É notório que a Lei em Batalha é contra o servidor e a favor dos mandatários, pelo menos no governo dos Lages.

E para finalizar esta Batalha por uma educação melhor, devo dizer que o Décimo Terceiro Salário dos professores de Batalha (pago no mês de aniversário de cada servidor) a cada ano está diminuindo. Outrora era 90%, depois passou a ser 80% e agora só estão pagando 70% do salário bruto do funcionário.


Utilizando um aplicativo do "Só Contabilidade" o Décimo Terceiro Salário de certo professor deveria ser este aí de cima (R$ 831,84). Quanto foi pago de verdade? Apenas R$ 760,15. Não sei como fizeram este cálculo, mas dar para imaginar que a favor do funcionário não foi.

E assim o PAÍS chamado de Batalha (com suas Leis próprias) está vivendo seus últimos dias de poder.
Enquanto isso os funcionários devem lutar para não morrerem, pois pagar para trabalhar só aqui, em São João do Arraial e no Morro do Chapéu.

"Sou o que eu penso, para vocês, sou o que eu transmito".

Nenhum comentário:

Postar um comentário