6 de maio de 2015

Como se faz esporte?

"Não, não é assiiiim, não é assiiiiim que se faz esporte" (Téo José).

Longe de mim ser especialista na área do esporte. Idem quanto à bela escrita.

Mesmo assim, todos nós somos teimosos, vou aqui tentar fazer esporte. À minha maneira. Vem comigo!

Então vamos lá! 
A primeira coisa que devemos fazer é unir um grupo de amigos que amam o esporte, mesmo que não saiba, como eu, fazer esporte. Depois disso sentaremos para fazer um Projeto. Neste não pode faltar o principal: dinheiro.
Este dinheiro é para bancar as despesas e uma delas é o Placar Eletrônico, pois este deverá ser nosso Norte, nosso maior juiz.
A categoria do esporte será o Futsal, até porque em nossa cidade não existe campo, apenas algumas mal tratadas quadras. As outras categorias não dão dinheiro (risos).

Depois do projeto feito, vamos à procura de dinheiro. Com ele iremos pôr em prática o objetivo e a missão desse projeto que irá modificar toda a cidade.
O setor privado está descartado. Este ajuda pouco. 
Então o jeito é ir na casa da mãe Joana municipal.

Iremos fazer quatro (04) competições anuais.
Uma com escolas privadas, outra com escolas públicas. Depois disso classificaremos os menos ruins para a Série "B" (terceira competição) do futsal esperantinense e os ruins para a Série "A" (quarta e última competição anual) de nosso ápice do esporte local. 

Não cobraremos valores financeiros na entrada dos torcedores nos ginásios. É bom lembrar que a mãe Joana estará patrocinando.

Faremos um Marketing pesado. Para isso iremos chamar nosso único Publicitário da cidade (Bruno Carvalho) para fazer a campanha.

Tudo pronto. Basta, agora, colocar em funcionamento esta política de como se faz esporte com responsabilidade.
É importante destacar que o estatuto desse projeto é formado por apenas OBRIGAÇÕES por parte dos desportistas.

Eu e meus colegas de construção dese Projeto estamos imunes de obrigações. Querem o quê? Estamos fazendo é muito ao construir este projeto para vocês.

Então aqui estão algumas obrigações para quem irá participar dessas nossas competições:

* o apito é meu e ele só irá ser assoprado quando eu quiser, mesmo que a mesa diretora da partida ou mesmo o placar eletrônico digam o que devo fazer;
* quem não respeitar estas LEIS (jogadores, treinadores e até torcedores) será punido por 2,3 ou 4 anos de suspensão de qualquer atividade feita por este projeto;
* quem não achar bom vá para puta que pariu;
* eu sou egocêntrico, então tudo que eu falar está certo porque sou o único correto. Não sou eu que estou fazendo o projeto? Então pronto!
* os participantes só podem concordar com tudo que digo, jamais criticar ou desconcordar (como o Tote fala) desse estatuto. 

Por enquanto é só e não volto atrás jamais. 

Fto - universodaarbitragem 

Nenhum comentário:

Postar um comentário