27 de maio de 2015

Redes sociais e organização política

A expansão da Internet possibilitou conexões instantâneas (tempo real/online), interligando lugares e pessoas distantes. 
O comércio mundial e os mercados financeiros logo tiraram proveito dessas tecnologias, agilizando suas transformações.

Na esfera social, se, por um lado, o crescimento não beneficiou a todos (uma grande parcela da população continuou excluída das vantagens desse processo ou teve sua estabilidade financeira deteriorada), por outro, a expansão da internet tem criado novas possibilidades a quem a ela tem acesso, possibilitando, por exemplo, a colocação no mercado de trabalho e a organização política. (Lygia Terra)
Em 2012 as cidades de Jaboticaba (SP) e Ribeirão Preto (SP) tiveram uma vitória política por conta de um grupo denominado de Movimento do Panelaço (inicialmente construído em uma rede social) que pressionou as câmaras municipais das respectivas cidades em não votarem medidas antipopulares.

Na primeira cidade os vereadores votaram a favor da diminuição da quantidade de edis para o mandato de 2013/2016.
Já na segunda cidade os vereadores, pressionados através da rede social Facebook, não votaram o aumento de 40% nos vencimentos dos representantes do povo.

É importante destacar que não é apenas na frente a um computador que iremos mudar a realidade política da cidade em que moramos.
Precisamos ir mais longe.

Mesmo assim começar aqui na internet mostrando nossa indignação, nossa controvérsia, nossa opinião sobre qualquer pauta debatida na 'casa do povo' já é um bom começo para mostrar aos governantes o que esperamos deles.

Por aqui vou começar uma ideia: NÃO REELEJA nenhum dos vereadores que aí estão.

Fto - tecnologiaeredessociais

Nenhum comentário:

Postar um comentário