30 de dezembro de 2015

Sujeira pública por falta de cronograma

Licitação! Esta palavra trás transtornos a muita gente.

Antes da Lei das licitações existir, o Poder Público contratava quem quisesse para fazer algum serviço público. Simples assim.

Agora, depois de muitos trabalhos e debates por parte dos nossos políticos, o Poder Público só pode contratar alguma empresa em benefício do estado ou das cidades através de um processo burocrático (não muito confiável, diga de passagem) chamado de processo licitatório onde a empresa contratada (escolhida) irá prestar um serviço à comunidade em geral.
Atualmente o serviço de limpeza pública de Esperantina é feito por uma empresa contratada através de um processo licitatório.

Tal empresa, não muito diferente das demais ao redor do Território dos Cocais, contrata carros para transportar o lixo. Estes carros são ou não ligados aos vereadores. Aquele velho jeitinho brasileiro de ser!

A mão de obra de tal empresa muitas das vezes é indicação dos mandatários.

O problema que se observa em Esperantina é que a limpeza não está acontecendo de acordo com os direitos de cada cidadão, que é andar por vias públicas limpas/seguras, é ter o lixo doméstico recolhido regularmente em dias pré-estabelecidos, é ter o lixo de cada dia sendo depositado em um Aterra Sanitário, etc.

Nas últimas semanas alguns carros deixaram de trabalhar para a empresa responsável pela limpeza pública por falta de pagamentos. Absurdo!

Há duas semanas têm bairro esperantinense que não sabe o que é recolhimento de lixo. O carro da coleta desapareceu.
Preocupado com esta situação, este que vos escreve foi procurar uma explicação plausível aos responsáveis da empresa contratada para fazer a limpeza pública. 
O escritório da empresa funciona na Rua Leonardo das Dores, próximo ao Bairro Pedreira.

A resposta que tive foi: por falta de um cronograma o carro da coleta deixou de passar em seu Bairro, mas a partir de amanhã (Terça-Feira, 29/12) se normalizará. 

E o carro passou? Só se foi em outro Bairro.
 
O que tem a dizer a gestora? E a secretaria de obras?

Nenhum comentário:

Postar um comentário