26 de abril de 2016

Volta Décimo Quarto Salário!

"Obedecendo a Lei do Piso Salarial do Magistério e com muita felicidade é que neste dia sanciono a lei municipal de reajuste salarial dos professores de toda a rede municipal de nossa Batalha. Depois de quase 4 anos, nossos professores passarão a receber, como nunca deveriam ter deixado de receber, o salário mínimo da categoria e tudo isso baseado no Plano de Cargos, Carreira, Remuneração e Vencimentos. E para a alegria de todos os professores, de já aviso que nos próximos anos todos irão receber até o 14º salário, como um dia eu já fiz, pois entendo que um professor satisfeito é sinônimo de desenvolvimento social, cultural, financeiro, etc, de toda uma população".

Tanto eu como muitos batalhenses estão na expectativa de poderem ouvir este discurso em um futuro próximo.

Por outro lado, ao tempo que este discurso cresce e amadurece, outros discursos começam a ficar tremidos, roucos, finos e até mesmo apavorados.

Para aqueles que têm poucos cabelos, a calvície só aumenta.

Os oposicionistas desse belo discurso agora começam a estratégia de tentar denegrir-lo. 

O medo está instalado. 

Àqueles que tiveram a chance de fazer este discurso nos últimos anos e que é lindo aos ouvidos dos professores de Batalha, digo: vocês tiveram a oportunidade de valorizar cada um dos profissionais da educação, de contribuir para o desenvolvimento da cidade do Jatobá via as escolas, tiveram também a oportunidade de mudar a realidade intelectual das crianças e adolescentes batalhenses. 

Mas não fizeram.

O que fizeram foi negar os direitos de cada um dos professores quanto ao Piso Salarial e ao Plano de Cargos, Carreiras, Remuneração e Vencimentos, foi humilhar mãe de família ao despacharem-a apenas com um ligação de demissão, foi tirar direitos dos vigias, foi de continuar a desrespeitar a Lei do Transporte Escolar colocando carros inadequados para transportar os alunos batalhenses, foi de fechar escolas em muitas localidades batalhenses, foi de pagar o Abono Férias com base em apenas 30 dias, no entanto, o correto é com base em 45 dias, foi de não fazer o Projeto Federal 'Mais Educação' funcionar adequadamente em muitas escolas batalhenses mesmo não faltando o dinheiro federal. E muitas outras barbaridades educacionais foram cometidas contra todos da classe.

Replicando os nossos quase analfabetos deputados federais vos falo:

'por este belíssimo discurso acima citado, por uma Batalha sem governança 'lagista', por uma educação justa, pelo reconhecimento do professor em todos os seus direitos, pelo Juiz que anulou a sentença e pela saída dos traidores da educação, eu voto SIM pela volta desse discurso do início da matéria.

"Posso não concordar com nenhuma palavra que você diz, mas defenderei até a morte o direito de dizê-la" (Voltarie).

Fto - tribunadopiaui

Nenhum comentário:

Postar um comentário