14 de setembro de 2016

Candidato de um seleto grupo de comerciantes

Bem sabemos que Esperantina sobrevive, economicamente, da atividade do comércio.

Este comércio é abastecido pelo funcionalismo público local e das circunvizinhas cidades e também da agricultura familiar e de subsistência.
É uma atividade econômica que merece respeito por parte dos Poderes Judiciário, Executivo e Legislativo. Sem falarmos dos pretendentes a estes cargos.

Quem compõe esta atividade, os trabalhadores, também merecem este respeito, este reconhecimento, pois os mesmos contribuem para a rotatividade do capital e consequentemente pela cadeia produtiva que faz com que outros segmentos econômicos prosperem em nossa terrinha.

Marllos Sampaio, na tentativa alucinada de copiar as caminhadas da atual gestão e na esperança de agregar mais votos e simpatia popular, convocou seu grupo político para fazerem sua primeira marcha popular na principal rua comercial da cidade - a CEL José Fortes.

Abraços aqui, entra e sai em comércios mais ali, saudações amigáveis aos poucos comerciantes simpatizantes 'aculá' e assim foi o Ctrl+C e Ctrl+V do grupo de Marllos.

Sem falarmos das fotografias feitas para depois fazerem comparações.

Eis que, já quase no final da marcha popular, chegou o grande momento da copiada caminhada.

Todos sabem que Marllos Sampaio nasceu e vive até hoje em berço de ouro. Não se mistura com a ralé. Não se dá com todos e quando a questão é política, o mesmo faz questão em deixar explícito esta arrogante divergência partidária.

O mesmo, sem saber que estava sendo filmado, se negou a entrar e saudar alguns comerciantes de um determinado estabelecimento comercial somente pelo motivo de que o estabelecimento comercial - Loja da TIM, é de propriedade de Epaminondas Albuquerque (articulador político e secretário municipal de Vilma Amorim).

Quando Marllos chegou à porta do estabelecimento, sendo conduzido por assessores, percebeu que se tratava da loja de Epaminondas, logo fez o sinal de vitória - V, que também é sinal de Vilma Amorim, e virou as costas e começou a correr, como diabo corre da cruz (apenas COMO) deixando de entrar até mesmo em outros estabelecimentos comerciais vizinhos ao estabelecimento da TIM.

Até Marllos sabe, e fez, o V da Vilma.
Eita que estão desesperado!

Portanto, podemos concluir que o candidato Marllos é mesmo um candidato seletista, que poderá governar, caso vença, somente para os comerciantes que o apoiam?

Que os comerciantes que foram e são excluídos, saibam dar o devido 'troco' na mesma 'moeda', neste caso o Longá.

"Posso não concordar com nenhuma palavra que você diz, mas defenderei até a morte o direito de dizê-la" (Voltaire"). 

Nenhum comentário:

Postar um comentário