1 de setembro de 2016

R$ 300 mil motivos de arrependimento

É muita prepotência.
É muita arrogância.

- Macelino vamos jogar apostado esta partida de futebol?
- Quanto é a aposta?
- R$ 0,25.
- Vou nada, tu é doido? Sou é funcionário público, se eu fosse político iria.

E assim é minha vida quanto ao jogos. Jamais jogo apostado.

Minha renda não permite, minha educação foi pautada na prudência, no medo (medo este de saber que no dia de amanhã pode faltar o que hoje foi abundante), no pé no chão. 
Vocês acreditam que em Esperantina tem gente passando fome, necessidade alimentar extrema?
Pois é.
Pessoas famintas não são apenas capricho dos africanos.

Enquanto mais de um 1 bilhão de pessoas passam necessidades alimentares ao redor do planeta, por conta da concentração de renda mundial, o senhor presidente da Assembleia Legislativa do Piauí esbanja fortuna em cima de palanque político em defesa de seu irmão.

Como isso pode acontecer? Não estava presente, mas dar para imaginar que muitos famintos de sabedoria aplaudiu quando o presidente 'esnobou' dos pobres esperantinenses que não tem nem o pão que o diabo amassou ao dizer que tem R$ 300,00 para apostar na vitória de seu irmão nas eleições de 02 de Outubro. 

O valor da aposta, R$ 300,000, é igual a muitas Emendas parlamentares. Então, invés de servir como aposta política, por que o nobre 'apaixonado' por Esperantina não investe este dinheiro em políticas públicas em defesa dos mais necessitados de sua Terra Natal?
Muita gente não tem uma residência, como o deputado tem muitas casas lá em cima do morro e o mesmo não oferta aos necessitados por um lar, estes trezentos mil dava para construir um conjunto habitacional inteiro.

Outra dica seria o aparelhamento da segurança pública via câmaras filmadoras espalhadas pelas principais vias da cidade. O que acha presidente?
E o trânsito? Poderia ser beneficiado.
E tantas outras obras poderiam ser beneficiadas por este dinheiro que está sendo usado apenas pelo capricho da arrogância, da ignorância.

Alguns analfabetos funcionais poderão dizer: "o dinheiro é dele, portanto ele faz o que bem entender".

Oh, coitados dos bichinhos que pensam assim.

O presidente da ALEPI é uma pessoa pública a mais de 30 anos, querendo ele ou não, ele deve explicação à sociedade, principalmente quanto as questões financeiras.

Portanto, por estas e outras tantas faltas de humildade política e econômica, que Esperantina vive sem nenhum tostão no bolso e nenhum juízo na cabeça.

"Posso não concordar com nenhuma palavra que você diz, mas defenderei até a morte o direito de dizê-la" (Voltarie).

Fto - analiseagora

Nenhum comentário:

Postar um comentário