31 de outubro de 2016

Ganhar um Livro sempre é bom

O Brasil não é feito de leitores.
A cultura enraizada pelos latinos, pelo menos no Brasil, não foi de construir apaixonados pelos páginas de livros.
A prova disso é que pequena parte da população brasileira tem o costume de comprar livros.
Não passa dos 30%.

Por outro lado, ganhar um livro sempre faz bem a alma.
Eu, pela paixão que tenho pelas leituras, atraio esta benevolência de ganhar livros. Pelo menos acredito nisso, pois sempre ganho livros.

E o último que ganhei, foi de um escritor esperantinense. Ganhar um livro já é bom, imagine de um escritor.

E sendo de um professor? Que loucura apaixonante.
E o presente sendo pelo dia do Professor? Alegria que não cabe no peito. 
Pois é!

Como presente pelo dia do Professor, ganhar do escritor e professor Valdemir Miranda este livro da foto - O Cabeleira -, de autoria de Flanklin Távora, foi extraordinário que de já volto a agradecer pelo presente.

"O Cabeleira" é um livro que estreia o regionalismo literário nordestino. 

Romantismo e Naturalismo fazem parte dessa obra.

Agora vocês podem perguntar: como sabe dessas informações, pois só está com 16 dias que ganhou o livro e já o leu?
Respondo que já comecei sim esta bela leitura e pelo pouco que tenho degustado, já deu para compreender alguns traços do roteiro que se passa no estado de Pernambuco durante o século XVIII.

E assim foi degustando mais um pouco dessa maravilhosa leitura.
Agora são dois livros que leio.

Este presente só voltou a ascender a minha vontade de terminar de escrever meus livros.

Obrigado Valdemir Miranda. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário