23 de janeiro de 2017

O mais "cú pra lua" de Esperantina

Entre vocês, quem tem o 'cú pra lua'?
E em Esperantina, quem é a pessoa que nasceu de 'cú pra lua'?

Sete da manhã. O dia começa bem nublado.
Para os nordestinos, o dia amanheceu bonito.

O dia é 19 de Janeiro.
O comércio está movimentado.
Fiéis locais se misturam com os visitantes, conterrâneos que há muito tempo não vinham por estas bandas.
Seja por motivo de trabalho ardente ou caprichosos estudos, esperantinenses vivem a ganhar a vida longe do Rio Longá.
Muitos que daqui saem, ganham a vida.
Trabalho, estudo fazem dos sonhos uma escadaria para o sucesso.

Outros nem tanto.
Trabalham como qualquer outro.
Estudam da mesma forma. Mas o sucesso já é caracterizado em berço.
Naquele santo dia de seu nascimento.

Crescente, minguante, nova ou mesmo cheia, não importa exatamente qual estava ao céu, o que importa para muitos humanos que seu "cú" (bumbum) estava voltado para a claridade lunar.
Só pode!

Como antes falado, ao amanhecer do dia 19 de Janeiro, as nuvens carregadas estavam a tirar as pranchas das moças e sujar os calçados dos marmanjos.

Aqueles que estavam na expectativa de irem festejar a penúltima noite do festejo de São Sebastião já com ingressos em mãos, muito preocupados estavam se ia ter ou não a festa dançante organizada por aquele que agora se chama o homem esperantinense mais de "cú pra lua" que se possa ter notícia até hoje por estas terras.

O dia 19 de Janeiro foi totalmente de chuvas. E muita chuva.
No entanto, a festa que começaria apenas as 22:00 hs, quando chegou a noite, o céu limpou exatamente para que a Lua aparecesse novamente para o produtor de eventos Paulo Melo - o homem mais sortudo em fazer festa na Terra do Rio Longá.

Nenhum comentário:

Postar um comentário