16 de janeiro de 2018

De que você tem medo?

Em 2011 escrevi sobre o medo que tenho e conheço. Falei de dois medos de forma generalizada (derivado e o periférico).

Passaram-se quase 7 anos (numeração do azar) e aqui estou, ainda, com medo.

O medo é uma areia movediça que se retroalimenta (Napoleon Hill) em seu livro "Mais Esperto que o Diabo" (Editora Citadel - 2015).

Este livro ganhei de um ex-aluno que hoje vive a tentar acabar com seu medo do desemprego no estado de Santa Catarina.
E com este livro, agora, estou com medo de não terminar de lê-lo. 

Pois bem. O livro nos trás a tona as fraquezas humanas e uma delas é o medo.

Qualquer homem que tiver o controle de seus medos e saber lidar com sua fé, se é que tem, irá viver bem e próspero.

E quais são os tipos de medos, fora os generalizados como escrevi na matéria de Julho de 2011? Clique Aqui para rever a matéria.

Os medos de que Napoleon Hill fala são: o medo da POBREZA, da CRÍTICA, da PERDA DA SAÚDE, do AMOR, da VELHICE e da MORTE.

Para o autor estes medos estão na devida ordem. E você querido medroso leitor, concorda com esta sequência, com estes medos?
Têm outros medos e só estes bastam?

Você tem todos estes ou pelo menos reconhece, sem medo, que os tem?

Quem tem medo da Pobreza e da Crítica?
E quem tem medo da Perda da Saúde e da Velhice?
Do Amor?
E da Morte?

Da morte praticamente todos.
Do Amor, os ateus.
Da velhice quem pinta os cabelos?
Da perda da saúde, eu.
Da pobreza, os políticos.
Da crítica, os críticos alienados que acham que sabem de alguma coisa sem saber de porcaria de nada.

Esta arma chamada Medo nos controla há muito tempo. O ser humano é movido ao medo. Estudos e mais estudos comprovam isso.
Aqueles que falam que são os mais corajosos são, talvez, os mais medrosos em especial ao fracasso.

Para que este ano de 2018 não tenhamos medo de ler um livro completo trabalhemos nossas mentes para fugimos do medo de continuarmos alienados.

Posso não concordar com nenhuma palavra que você diz, mas defenderei até a morte o direito de dizê-la" (Voltarie).

Fto 01 - pensamentoliquido

Nenhum comentário:

Postar um comentário