14 de março de 2018

Não faço parte dessa Esperantina

Não faço mesmo.

A cidade de Esperantina talvez seja a primeira cidade brasileira a fazer propaganda eleitoral em 2018.

Outro absurdo é dizer que ESPERANTINA, como se EU fizesse parte dessa cidade estampada em avenida pública, está a defender e votar para este político.

Talvez seja a força do hábito ou a revolta com outros políticos que está fazendo com que certos apaixonados/revoltados/irracionais construam em suas mentes uma imagem de salvação sobre os ombros de quem não está no grupo da celetista lista de agremiação partidária.

A Lei Federal nos obriga a votar, mas não nos obriga a votar em qualquer um.
Devemos votar não apenas por revolta, pois é um raciocino ilógico.

Falei e repito, este ano deve ser do voto NULO e BRANCO, pois até agora e com certeza até Outubro não aparecerá um POLÍTICO digno, novo, sem ligação familiar, econômica, judiciária com os podres que nos faz mal.

Não é porque não devemos votar em quem já demonstrou ser um inimigo da boa e correta administração que iremos escolher qualquer um que ainda não teve oportunidade de mostrar seus podres culturais e políticos sentado no Palácio do Planalto.

A liberdade de escolha é importante, no entanto, não venham dizer que minha cidade por completo defende quem não deve ser defendido.

A discussão é importante, faz parte da democracia. O que não faz parte do bom diálogo e da boa convivência é querer impor suas vontades e desejos como se fosse de todos.

E que discussões sadias e pautadas na boa vergonha, no respeito às mulheres, aos negros, aos homossexuais sejam presentes em nosso meio todos os dias. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário