19 de julho de 2010

A "Democracia" no Brasil.

 
Estamos longe de alcançarmos plenamente uma democracia. Será uma utopia?
Este assunto é complexo, por envolver vários fatores da sociedade e o tempo de consolidação que leva a efetivação da mesma. Isso, é claro, depende de seu povo como sociedade civil organizada e seus governantes.
Temos ainda muitos direitos sendo negligenciados mesmo após da Constituição de 1988 que dar os mais e devidos direitos à sociedade em geral.
“Só há Democracia onde a liberdade política convive com a igualdade social” já dizia Nadime.
Será mesmo que temos igualdade social?
Podemos até ter liberdade de expressão e de associação; direito de voto e de informação alternativa; direito dos líderes políticos de competirem por apoio; elegibilidade para cargos públicos e eleições livres.
Mas não temos respeito de igualdade.
Após a proclamação da Carta Magna de 1988 teoricamente era para o Brasil caminhar para uma efetiva DEMOCRACIA.
Vieram alguns governos e demonstrou o contrário.
Estas políticas que começaram com Collor de Melo tais como a autonomia do mercado frente ao Estado, privatizações Estatais e abandono do Estado de Bem Estar Social foram seguidas por FHC. Resultado? Caos no poder aquisitivo salarial e necessidades dos cidadãos derramadas no vaso.
O atual governo de Lula mantém, desde a campanha presidencial, a bandeira do combate à desigualdade social.

O governo busca, ao mesmo tempo, a retomada do crescimento econômico e a redistribuição de renda. No entanto, o que o país vem presenciando é uma continuação da política neoliberal de FHC, vide a Reforma da Previdência.
Segundo Weffort (1992), uma Democracia social pressupõe uma classe trabalhadora muito bem organizada, um alto grau de consenso a respeito das questões decisivas para o desenvolvimento social e econômico do país.

O que estamos esperando para consolidar esta tão sonhada DEMOCRACIA? Apesar de que estamos longe temos que promover a capacidade de organização democrática e luta social, particularmente entre os segmentos mais pobres para mudar esta caótica realidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário